Bloody Mary

É um drinque é feito de vodka, suco de tomate, tabasco e outros temperos.

Reinaldo Pimenta |

Acordo Ortográfico

Corre uma historinha de que o nome da bebida teria vindo de Maria I, rainha da Inglaterra, de 1553 a 1558, que ganhou o apelido de Bloody Mary, por sua sanguinária perseguição aos protestantes para a restauração do Catolicismo na Inglaterra.

É só uma historinha. Na verdade, o drinque apareceu em 1921, no Harrys New York Bar, em Paris. Seu autor foi o bartender Fernand Petiot, que, tentando inventar um coquetel misturando vodka com outra bebida, apelou para o suco de tomate. E o povo gostou. Depoimento de Petiot: um dos rapazes sugeriu que o drinque fosse chamado de Bloody Mary porque o fazia lembrar-se de um bar em Chicago chamado Bucket of Blood Club, onde trabalhava uma moça chamada Mary.

Em 1934, Petiot decidiu mudar-se de Paris para Nova Iorque (vida dura, não?). Lá foi trabalhar no King Cole Bar do St. Regis Hotel. O hotel bem que tentou mas não conseguiu mudar o nome da bebida para Red Snapper (ao pé da letra: detonador vermelho). Para agradar mais ao gosto dos nova-iorquinos, Petiot usou ingredientes que não estavam na receita original: tabasco, pimenta-negra, suco de limão etc. E o povo gostou mais ainda.

Leia mais sobre: A Casa da Mãe Joana

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG