Pesquisadores da Universidade de Michigan (EUA) anunciaram que conseguiram detectar pela primeira vez sinais de descargas elétricas durante tempestades de poeira na superfície de Marte.

A equipe de pesquisadores afirma que a prova da ocorrência de raios pode trazer grandes avanços no estudo do planeta. "Os raios afetam a química atmosférica do planeta, a chance de ser habitável e os preparativos para uma exploração futura, além da possível origem de vida", explicou o cientista brasileiro Nilton Renno, um dos pesquisadores da equipe de Michigan.

Para detectar os raios, os astrônomos utilizaram um novo aparelho desenvolvido no Laboratório de Investigação de Física Espacial e que identifica micro-ondas. O instrumento é capaz de diferenciar a propagação de radiações térmicas e não térmicas.

As medições foram realizadas cinco horas por dia no período de 22 de maio e 16 de junho de 2006. A radiação não térmica, que sugere a presença de relâmpagos, foi detectada exatamente durante uma intensa tempestade de poeira na superfície de Marte.

Os relâmpagos não ocorreram associados à chuva. "O que vimos em Marte foi uma série de grandes descargas elétricas repentinas causadas por uma grande tempestade de pó", disse o professor Chris Ruf, coordenador das atividades.

Todos os resultados do estudo foram divulgados pela revista científica Geophysical Research Letters.

Foto: Concepção artística mostra intensa tempestade de poeira na superfície marciana e que segundo os especialistas causa as descargas elétricas no planeta. Crédito: Brian Grimm/Nilton Renno.


Leia mais sobre: Marte

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.