Após sucesso, Cocal dos Alves espera políticos para inaugurar escola

Fenômeno em competições educacionais, cidade no interior do Piauí chamou atenção de governo e até de imprensa internacional

Cinthia Rodrigues, iG São Paulo |

Destaque em competições educacionais desde 2005, a pequena Cocal dos Alves, no Piauí, ganha agora atenção de governos - municipal, estadual e federal. A cidade de 5 mil habitantes teve este mês a primeira cerimônia local de entrega de prêmios aos medalhistas nacionais em matemática e, nas próximas semanas, espera a visita de autoridades estaduais e do ministro da Educação, Fernando Haddad, para inaugurar o novo prédio da única escola de ensino médio do local, que está pronto e aguarda apenas a agenda dos políticos para começar a funcionar.

O município ficou famoso por ser a terra do vencedor do último concurso Soletrando , do programa Caldeirão do Huck e, logo em seguida, ter 12 premiados nas Olimpíadas Brasileiras de Matemática das Escolas Públicas. O iG foi conhecer o fenômeno e constatou duas realidades que pareciam contraditórias: os cocalalvenses são destaques também em outras disciplinas e todos que se candidataram a Universidade Federal do Piauí, foram aprovados; ao mesmo tempo, as escolas não possuem estrutura mínima , como quadras, laboratórios ou sequer pátio de convivência. Alunos e professores atribuem o resultado ao esforço uns dos outros.

Cinthia Rodrigues
Medalhista em frente sua casa. Prêmio inclui R$ 100 por mês que comprou geladeira da família
Após o sucesso, no entanto, a cidade ganhou reforços. O Ministério da Educação ofereceu programas de aumento da carga horária e montagem de laboratórios de informática. Já a Secretaria de Estadual de Educação deu cursos de formação em inclusão aos educadores na primeira semana de aulas do segundo semestre.

No município, que até junho não havia comemorado o desempenho dos estudantes do ano passado, houve uma grande festa patrocinada pela Prefeitura e foram distribuídos notebooks, máquinas fotográficas e rádios aos medalhistas. “Foi uma festa muito bonita e pela primeira vez nós professores fomos só para participar”, afirma o professor de matemática Antonio Cardoso do Amaral, contando que até o ano anterior as homenagens eram improvisadas.

"Acordo" definirá inauguração

O maior prêmio deve vir nos próximos dias. O novo prédio da unidade de ensino médio Augustinho Brandão, prometido desde 2009, está pronto. Em nota, a Secretaria Estadual responsável pela obra feita com dinheiro federal afirmou que a data de inauguração “está sendo definida em comum acordo com as agendas de compromisso dos gestores”. Segundo o secretário de Educação piauiense Átila Lira, a visita do ministro deve acontecer ainda este mês. “O ministro está acertando com o governador a data mais adequada. A presença dele significa uma homenagem à educação do nosso Estado, que a partir do município de Cocal dos Alves mostrou que a educação pública é viável”, informa o texto.

Enquanto isso, Amaral e os alunos se esforçam para manter o padrão. Uma turma de iniciantes que recebe aulas extras de matemática aos sábados deveria ter 30 alunos, mas está com 50 inscritos e, toda semana, aparece mais alguém. “Chega um menino e diz ‘eu fico no canto, não vou atrapalhar’, eu aceito”, conta Amaral.

Os ex-alunos, que agora estudam na Universidade Federal também ajudam. Durante as férias, dois deles montaram cursos de iniciação a uma das áreas de matemática que conhece melhor e aproveitaram a visita às famílias para ensinar aos colegas mais novos. “Enquanto eu preparo uma nova turma, eles trabalham o desenvolvimento dos mais velhos. Estamos tentando responder ao interesse de todos”, diz o professor que teve medalhistas em todas as edições das olimpíadas de matemática.

Desconhecido até poucos meses, ele agora tem oferta de emprego de redes particulares de outros Estados, vai receber a correspondente brasileira do jornal holandês Trouw e foi selecionado pela revista Alfa um dos 45 homens do ano , ao lado de ex-presidentes, jogadores de futebol, empresários, estilistas e chefs com renome internacional. “O reconhecimento aumento, isso dá felicidade e um pouco de medo, mas se servir de exemplo, vale a pena”, diz.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG