Após invasão de alunos, UnB diz que concluirá obras

Campus Ceilândia está atrasado há três anos e reitoria foi invadida por grupo de 300 alunos

iG São Paulo |

A direção da Universidade de Brasília (UnB) assumiu o compromisso de concluir, até 9 de janeiro de 2012, as obras do campus de Ceilândia, cidade satélite de Brasília. Foi a resposta que a instituição deu ao grupo de estudantes da unidade que invadiu a instituição na terça-feira e acampou no auditório da reitoria. Apesar do compromisso de entrega das obras, que se arrastam há 3 anos, cerca de 70 estudantes decidiram permanecer no local.

Agência Brasil
Cerca de 300 alunos invadiram o auditório da reitoria para protestar contra atraso em obras
O decano de Administração, Eduardo Raupp, a diretora da unidade de Ceilândia, Diana Pinho, e o chefe de gabinete da reitoria, Davi Diniz, também prometeram aos estudantes melhorar as condições do campus. Até setembro, devem ser entregues mesas e cadeiras para um espaço de convivência.

Na terça, um grupo de cerca de 300 alunos invadiu a reitoria e entrou em confronto com os seguranças da universidade por causa do atraso de três anos nas obras. "Além da construção do campus, os alunos não têm um restaurante comunitário, nem assistência à moradia", disse o estudante de farmácia Elias Silveira Barros.

A reitoria chegou a divulgar nota em que dizia que alguns manifestantes não eram alunos e houve prejuízo de pelo menos uma porta e uma mesa quebrada. "É mentira, estamos aqui pela mesma causa e não existem grupos, são alunos lutando por melhorias na educação", rebateu Joabe Leite, do curso de Farmácia. O aluno aproveitou para denunciar a falta de estrutura do campus: "Somos 1,7 mil alunos em dez salas e oito laboratórios".

A obra da primeira etapa do campus, que deveria ter sido entregue em 2008, é de responsabilidade do governo do Distrito Federal (GDF) que, por meio de licitação, contratou a empresa UniEngenharia para tocar a obra. Segundo o decano de Administração, Eduardo Raupp, o contrato do GDF com a empresa foi cancelado no dia 2, mas a empreiteira fez um acordo para que a própria UnB terminasse a obra. "A Unb, junto com a Novacap [Companhia Urbanizadora da Nova Capital], vai fazer um levantamento para analisar por onde devemos continuar. Dentro de três meses, queremos que a primeira parte já esteja pronta", disse o decano.

Esta não foi a primeira vez que os alunos do campus de Ceilândia protestam contra a precariedade das instalações. No dia 15 de junho, alunos e professores já haviam feito uma manifestação para denunciar os mesmos problemas.

* com informações da Agência Brasil

    Leia tudo sobre: Unbceilândiaatraso em obras de campus

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG