Alcatraz: a prisão mais segura do mundo

O maior e mais famoso presídio de segurança máxima do mundo recebeu em torno de 12 mil detentos. Durante seus 29 anos de funcionamento, 34 presidiários tentaram fuga ¿ e nenhum conseguiu com vida.

Aline Vieira |

Trancas eletrônicas, celas especiais para repreender os mais rebeldes, guarda atenta e câmeras de vigilância que seguiam cada passo na prisão de Alcatraz. O presídio, localizado na baía de São Francisco, na Califórnia, começou a funcionar em 1934, depois de servir por 70 anos como base militar americana, e ganhou notoriedade por ser uma das unidades de detenção mais seguras do mundo.

O nome Alcatraz foi dado devido ao termo em espanhol alcatraces, que significa pelicanos. O terreno de cinco hectares foi comprado dos mexicanos em 1847 e chegou a abrigar o primeiro farol na costa do Pacífico. Ao seu redor, havia apenas águas frias e ondas violentas do mar ¿ características essas vistas como ideais para evitar possíveis fugas.

A rotina no presídio começava as 6h30, quando os presos acordavam. Eram 30 minutos de café da manhã e, depois, trabalho para os mais comportados. Por volta do meio dia, os prisioneiros eram levados para o almoço ¿ o menu era caprichado para evitar rebeliões ¿ e depois voltavam ao batente.

Corredores do presídio de Alcatraz (Imagem: Getty Images)


A janta saía cedo, as 17hrs, e as luzes de Alcatraz eram apagadas no máximo as 21h39. Pelo menos duas vezes por semana, os detentos também tinham direito a banho de sol. Mas essa mordomia era só para aqueles que cultivavam bom comportamento por meses, conta o historiador Ernesto Villa, dono de um Sebo com mais de 180 títulos sobre história americana.

Cada cela do presídio media seis metros quadrados, espaço suficiente para uma cama, um vaso sanitário e uma mesa. Cada preso ocupava uma cela e não tinha direito de ouvir rádio e muito menos ver TV. As visitas aconteciam uma vez por mês, no período de uma hora, e tinham que ser autorizadas pelo diretor do presídio.

As regras de Alcatraz eram rígidas. Os mais rebeldes, por exemplo, eram levados para uma solitária num bloco separado e largados numa espécie de buraco frio e desconfortável. Quem não obedecia levava surra também. E as denúncias de mal tratos raramente surgiam na mídia, já que nenhuma informação confidencial saía pelas paredes do presídio, conta Ernesto.

Entre os presos mais perigosos e famosos de Alcatraz estiveram os mafiosos Al Capone, acusado de liderar grupos de contrabando, Alvin Karpis, sentenciado por assassinatos e roubos em 14 estados do país, e o assassino Robert Franklin Stroud.

O famoso mafioso Al Capone (Imagem: Reprodução)


Em quase três décadas em que esteve em funcionamento, Alcatraz nunca registrou nenhuma fuga bem sucedida, apesar das muitas tentativas. A primeira aconteceu em dezembro de 1937, quando dois presos conseguiram abrir um buraco na janela de um dos prédios e escaparam, alcançando o mar. A guarda os procurou sem parar por anos seguintes, mas não os encontrou ¿ nem seus cadáveres ¿ dando-os assim como mortos.

Mais seis casos parecidos aconteceram. No último e mais famoso deles, em 62, os criminosos Frank Lee Morris, Clarence Anglin e John William Anglin chegaram a colocar algodões com cabelo cobertos em suas camas para simular que ainda estavam dormindo. Foi justamente Frank Morris que liderou o grupo que conseguiu fugir. Ele era considerado pelas autoridades o mais perigoso de todos porque viveu praticamente uma vida toda na criminalidade e tinha um Q.I. elevadíssimo, sabia todos os truques, diz o historiador. Os fugitivos também não foram encontrados e, anos depois, dados como mortos.

Apesar de funcionar perfeitamente e garantir segurança ao Estado, a prisão de Alcatraz passou todo o seu funcionamento trazendo prejuízos. Cada preso mantido no presídio custava até três vezes mais do que os que eram guardados em prisões federais e foi por esse motivo que, em 1960, o governo decidiu encerrar as atividades. Na época não foi uma alívio apenas para o estado. Os moradores da costa também se sentiram aliviados. Apesar de um ser um presídio de segurança máxima, quem conseguisse fugir e, por algum milagre ficasse vivo, iria na direção da cidade, brinca Ernesto.

Hoje, além de inspirar milhares de filmes hollywoodianos ¿ como Fuga de Alcatraz, de 1979, O Condenado de Alcatraz, de 1995, e A Rocha, de 1996 ¿ a prisão de Alcatraz é um importante ponto turístico californiano e recebe cerca de 1 milhão de visitantes por ano. Quem visita o presídio pode andar pelos corredores e até tirar fotos nas celas. A prisão agora é um dos pontos turísticos de São Francisco mais cobiçados, diz Ernesto.

Leia mais sobre: Alcatraz

    Leia tudo sobre: al caponealcatrazhistória

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG