Água e vento foram determinantes para formação de crateras

As conclusões de estudos publicados por mais de 30 cientistas sobre o planeta Marte nos últimos anos foram reunidas em um único artigo divulgado recentemente pela revista Science.

Apolo11 |

A exploração da superfície do planeta pelas sondas-gêmeas Spirit e Opportunity durante cinco anos trouxe uma importante questão.

O vento e água foram determinantes para a formação das crateras de Marte. A cratera Victoria na planície próxima ao equador é um exemplo disso.

Há fortes indícios de erosão provocada pelo vento, pois a largura da cratera se expandiu mais de 700 metros. Com o tempo, as rochas deslocadas também sofreram aplainamento, deixando o terreno liso.

A água e o vento alteraram o terreno ao redor da cratera, assim como fizeram em outros lugares da superfície de Marte.

Atualmente a Opportunity mantém seu curso em direção a outra cratera. No total, a sonda já viajou cerca de 16 km. A Spirit percorreu metade dessa distância e há semanas permanece atolada nas areias de Marte do outro lado do planeta.

Foto: Imagem capturada pela câmera de navegação do jipe-robô Spirit, no dia 8 de abril de 2009. O pequeno morro a frente é informalmente chamado "Von Braun". No momento da foto o jipe-robô estava a 160 metros de Von Braun. Crédito: California University/NASA/Jet Propulsion Laboratory.


Leia mais sobre: Marte

    Leia tudo sobre: marte

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG