Acrimesp sugere projeto de lei que multa trote violento em mil salários mínimos

A Associação dos Advogados Criminalistas do Estado de São Paulo (Acrimesp) encaminhou nesta quarta-feira à Câmara dos Deputados, em Brasília, um projeto de lei que propõe considerar as instituições de ensino co-responsavéis por trotes violentos praticados pelos seus alunos, dentro ou fora do campus.

Marina Morena Costa, iG São Paulo |

Na proposta da Acrimesp, as instituições de ensino poderão ser penalizadas em até 1 mil salários-mínimos por aluno agredido. A multa deverá ser repassada ao Ministério da Educação MEC.

Além da multa, o projeto prevê que as universidades ministrem, obrigatoriamente, no primeiro ano noções de cidadania e respeito ao ser humano. Durante uma semana, logo no começo dos anos letivos dos calouros, as universidades devem dar aulas de cidadania. O número de trotes violentos que acontecem em todo o Brasil é vergonhoso. É uma barbaridade, destaca Ademar Gomes, presidente do conselho da Acrimesp.

Gomes acredita que é responsabilidade das instituições de ensino prevenir, inibir e vigiar supostos trotes violentos. As universidades devem manter a vigilância dos alunos, acompanhar trotes, mesmo os que sejam praticados fora do campus. Só assim conseguiremos inibir a violência, analisa.

    Leia tudo sobre: trote estudantiltrote violento

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG