ABL parabeniza iG pelo apoio dado ao Acordo Ortográfico

RIO DE JANEIRO ¿ O presidente da Academia Brasileira de Letras (ABL), Cícero Sandroni, parabenizou o iG, pelo apoio dado ao Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. O portal já adota, desde 7 de setembro, as novas normas da reforma nos textos produzidos por sua redação.

Anderson Dezan, do Último Segundo |

Acordo Ortográfico

Segundo Sandroni, a atitude do iG irá conscientizar a população a respeito da importância do projeto e colaborar para que os brasileiros se ambientem com o novo estilo de escrever. 

    A Academia Brasileira de Letras fica muito feliz com o apoio do iG ao Acordo Ortográfico. Certamente, a adoção das novas regras da reforma pelo portal vai fazer com que boa parte da população leitora e que escreve no Brasil se conscientize da importância desse projeto. Um grande contingente de leitores vai notar, através do iG, que o acordo não mudou muita coisa. Só demos uma unidade à Língua Portuguesa. Parabéns ao iG!, declarou.

    O presidente da ABL disse que o acordo é um projeto que a academia defende desde a sua fundação, com Machado de Assis. Para ele, além de facilitar o processo de intercâmbio cultural e científico entre os países que tem o Português como língua oficial, a reforma terá grande importância para a indústria editorial e, também, para a imprensa. De acordo com Sandroni, a reforma vem dar à Língua Portuguesa uma forma ortográfica unificada, mas, no entanto, a fala será de acordo com cada País.

    Esse acordo é uma antiga aspiração da Academia Brasileira de Letras que vem desde a fundação da casa com o escritor Machado de Assis. Ele defendia a ideia de que Portugal, Brasil e países da África devem escrever da mesma forma. Vamos escrever com as mesmas regras, mas a prosódia será de acordo com cada País ou região.

    Cícero Sandroni ressaltou ainda que as críticas que vêm sendo feitas ao projeto com o tempo perderão o sentido. Segundo ele, o surgimento de críticas é natural devido às mudanças. O presidente da ABL lembrou que outros acordos já foram firmados no passado e, depois, a população se acostumou com as regras.

    Sempre que há mudanças, há críticas. Antigamente, a palavra farmácia era escrita com ph. Quando houve a mudança, algumas pessoas ficaram na dúvida se a população ia se acostumar com as novas regras e isso aconteceu com o tempo. Com o novo Acordo Ortográfico acontecerá da mesma forma. Os críticos de hoje ficarão no passado e a nossa língua ficará mais simples e bela no futuro, finalizou.

    Decretos

    No dia 29 de setembro, o presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva assinou, em sessão solene na ABL, os decretos que estabelecem o cronograma para a vigência do Acordo Ortográfico entre os países que tem o Português como língua oficial e orientam a sua adoção. Na ocasião também foi lembrado o centenário da morte do escritor Machado de Assis, fundador da academia.

    O acordo tem, na verdade, uma importância maior do que pode parecer à primeira vista. E que, por isso mesmo, precisa ser divulgado e explicado com clareza ao cidadão comum deste País, para que todos compreendam sua pertinência e, sobretudo, seu significado estratégico no que diz respeito à cooperação entre os países lusófonos e à própria presença da língua portuguesa e das nossas literaturas no mundo, declarou o presidente durante a sessão.

    O acordo entrará em vigor a partir desta quinta-feira (1º), mas a norma atual e a prevista poderão ser usadas e aceitas oficialmente até dezembro de 2012. A novidade chegará aos livros didáticos em 2010, quando todos deverão ser editados de acordo com a nova ortografia, com exceção de reposições e complementações de programas em curso.

    Leia mais sobre: Acordo Ortográfico

      Leia tudo sobre: acordo ortográfico

      Notícias Relacionadas


        Mais destaques

        Destaques da home iG