ABL critica livro e diz "estranhar certas posições teóricas"

Associação Brasileira de Letras diz que professor de Língua Portuguesa tem que encontrar respaldo em obras didáticas

iG São Paulo |

A Academia Brasileira de Letras divulgou nota em que critíca o livro Viver, Aprender que admite erros de plural como "nós pega" na fala da língua popular. O iG revelou na semana passada que a obra foi distribuída pelo Ministério da Educação para ser usado nas turmas de Educação de Jovens e Adultos (EJA). Veja íntegra da nota:

O Cultivo da Língua Portuguesa é preocupação central e histórica da Academia Brasileira de Letras e é com esta motivação que a Casa de Machado de Assis vem estranhar certas posições teóricas dos autores de livros que chegam às mãos de alunos dos cursos Fundamental e Médio com a chancela do Ministério da Educação, órgão que se vem empenhando em melhorar o nível do ensino escolar no Brasil.

Todas as feições sociais do nosso idioma constituem objeto de disciplinas científicas, mas bem diferente é a tarefa do professor de Língua Portuguesa, que espera encontrar no livro didático o respaldo dos usos da língua padrão que ministra a seus discípulos, variedade que eles deverão conhece e praticar no exercício da efetiva ascensão social que a escola lhes proporciona. A posição teórica dos autores do livro didático que vem merecendo a justa crítica de professores e de todos os interessados no cultivo da língua padrão segue caminho diferente do que se aprender nos bons cursos de Teoria da Linguagem. O nosso primeiro e grande linguista brasileiro, Mattoso Càmara Jr., nos orienta para o bom caminho nesta lição já de tantos anos, mas ainda oportuna, a respeito da qual devem refletir os autores de obras didáticas sobre a língua materna: "Assim, a gramática normativa tem o seu lugar no ensino, e não se anula diante da gramática descritiva. Mas é um lugar à parte, imposto por injunções de ordem prática dentro da sociedade. É um erro profundamente perturbador misturar as duas disciplinas e, pior ainda, fazer linguística sincrônica com preocupações normativas" (Estrutura da Língua Portuguesa, 5). O manual que o Ministério levou às nossas escolas não o ajudará no empenho pela melhoria a que o Ministro tão justamente aspira.

Veja reportagem em vídeo sobre a polêmica:

    Leia tudo sobre: ABLacademia brasileira de letrasnós pegalivromec

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG