62,8% dos estudantes preocupam-se com imagem corporal, mostra pesquisa

Estudantes ouvidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para a Pesquisa Nacional da Saúde do Escolar (Pense), divulgada nesta sexta-feira, preocupam-se com sua imagem corporal. O porcentual entre os que estão fazendo alguma atividade para perder, ganhar ou manter o peso é 62,8%. O estudo leva em conta os 618,5 mil adolescentes que frequentam o 9º ano do ensino fundamental nas capitais e no Distrito Federal.

iG São Paulo |

O índice é maior entre as mulheres (65,0%). Um terço das alunas (33,3%) estava fazendo alguma coisa com a intenção de perder peso. Para o sexo masculino, a freqüência encontrada é de 60,2%.

O porcentual foi distribuído da seguinte forma: perder peso (20,9%), ganhar peso (17,9) e manter peso (21,4%). 6,9% relatam que vomitaram e/ou ingeriram medicamentos ou fórmulas para controle do peso sendo o menor porcentual encontrado em Florianópolis (4,7%) e o maior em Boa Vista (9,8%).

O Brasil é um dos principais países do mundo em consumo de substâncias psicoativas com finalidade de perda de peso. Temos uma preocupação com isso e essa é uma questão que tem várias dimensões. Uma disseminação de um padrão estético ideal na sociedade pode gerar situações complexas, como a busca inadequada por medicamentos. Às vezes essas pessoas sequer estão acima do peso. Já existe um grande controle, como a venda ilegal de medicamentos pela internet. Essa é uma preocupação efetiva da Anvisa, afirma o ministro da Saúde, José Gomes Temporão.
Do total de entrevistados, 22,1% se acham magros ou muito magros (23% são homens e 21,4, mulheres). Já 17,7% disseram estar gordos ou muito gordos.

    Leia tudo sobre: comportamentopensepesquisapesquisa escolar

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG