Tamanho do texto

Para o ministro da Educação, medida cria uma "estratégia para interiorização do ensino superior no País"; cerca de 2.300 vagas deverão ser geradas

Ato foi assinado nesta semana pelo ministro Mendonça Filho; MEC estima que cursos iniciem atividades neste ano
Luís Fortes/MEC
Ato foi assinado nesta semana pelo ministro Mendonça Filho; MEC estima que cursos iniciem atividades neste ano

O MEC (Ministério da Educação) autorizou nesta semana a abertura de 710 vagas em 11 cursos de Medicina em cidades das regiões Sul e Sudeste do Brasil. Está prevista também a criação de outros 25 cursos de Medicina no interior dessas regiões, totalizando 2.305 novas vagas até o ano que vem.

Leia também: FNDE repassa cerca de R$ 800 milhões do Fundeb a estados beneficiários

De acordo com o MEC , outro edital será lançado para contemplar as regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do Brasil. O ministro da Educação, Mendonça Filho, afirma que a atenção às localidades menos desenvolvidas do País ratifica o compromisso do governo com o acesso à educação nessas áreas.

“Vamos finalizar esse edital e deveremos lançar um segundo, que diz respeito às regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, em que a oferta de formação médica é a mais baixa do Brasil e em que a presença de médicos para atendimento à população, infelizmente, não atende aos requisitos e padrões mínimos adequados recomendados pela OMS [Organização Mundial da Saúde]”, disse o ministro.

Leia também: Quadrilha que fraudava vestibular em Goiás é denunciada pelo MP

Em São Paulo, serão autorizadas graduações do curso em Araras (55 vagas – Faculdade São Leopoldo Mandic), Guarulhos (100 vagas – Universidade Nove de Julho/Uninove), Mauá (50 vagas – Uninove), Osasco (70 vagas – Uninove), Rio Claro (55 vagas – Faculdade Claretianorc) e São Bernardo do Campo (100 vagas – Uninove).

No Paraná, recebrão cursos de Medicina as cidades de Campo Mourão (50 vagas – Faculdade Integrado de Campo Mourão) e Pato Branco (50 vagas – Faculdade de Pato Branco/FADEP). No Rio de Janeiro, será contemplada Angra dos Reis (55 vagas – Universidade Estácio de Sá/Unesa), e no Rio Grande do Sul, Novo Hamburgo (60 vagas – Universidade Feevale) e São Leopoldo (65 vagas – Universidade do Vale do Rio dos Sinos/Unisinos).

Acesso à Saúde

Na avaliação de Mendonça Filho, a autorização para a abertura de novos cursos cria uma estratégia para interiorização do ensino superior no País. Segundo o ministro, essa medida vai trazer mais desenvolvimento para o acesso à saúde para os municípios mais afastados dos grandes centros.

“Essa é uma vitória importante para municípios brasileiros que sonhavam com uma faculdade de Medicina. Significa uma oportunidade para o surgimento de novos médicos, para a interiorização do desenvolvimento e do acesso à Saúde, com profissionais mais próximos dos municípios do interior do Brasil”, destacou o ministro Mendonça Filho.

Leia também: UnB abre inscrições para vestibular para indígenas

Segundo a previsão do MEC, os cursos devem iniciar as atividades ainda neste ano. A oficialização das novas graduações foi por meio do 1º Ato de Credenciamento e Autorização dos Cursos de Medicina do Edital nº 6/2014.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.