Veja lista das instituições federais em greve

Por Agência Brasil - |

compartilhe

Tamanho do texto

Paralisação, por tempo indeterminado, teve início nesta quinta e abrange também trabalhadores técnico-administrativos

Agência Brasil

Professores da Universidade Federal Fluminense (RJ) aderiram à paralisação
Divulgação/UFF
Professores da Universidade Federal Fluminense (RJ) aderiram à paralisação

Docentes de 17 universidades federais e um instituto entraram em greve nesta quinta-feira (28) em 12 estados de acordo com o Sindicato Nacional dos Docentes de Instituições de Ensino Superior (Andes-SN). A greve abrange docentes e trabalhadores técnico-administrativos de instituições públicas de ensino superior. A paralisação é por tempo indeterminado.

Os profissionais pressionam o governo federal para ampliar os investimentos na educação. Entre as reivindicações, estão melhores condições de trabalho, garantia de financiamento público estável e suficiente às instituições, abertura de concursos públicos e a reestruturação da carreira. A pauta completa pode ser acessada no site do Andes-SN

Leia também:

- Professores e técnicos da Universidade Federal Fluminense entram em greve

De acordo com o sindicato, a greve foi o último recurso encontrado pelos funcionários para alertar sobre a necessidade de ampliar os investimentos em educação. Eles também querem respostas sobre "o total descaso do Executivo frente à profunda precarização das condições de trabalho e ensino nas Instituições de Ensino Superior (IES)".

A Andes diz, em nota, que após o anúncio da greve no dia 22 de maio, representantes do movimento foram recebidos no Ministério da Educação, mas não obtiveram resposta sobre a pauta de reivindicações. No texto, os docentes lembram que o ministério também negou acordo anteriormente firmado com a Secretaria de Educação Superior sobre pontos conceituais da carreira do professor federal.

A nota destaca também que os cortes no orçamento do MEC têm trazido enormes prejuízos para o desenvolvimento das atividades acadêmicas nas instituições. "Os cortes aprofundam a precarização das condições de trabalho a tal ponto que diversos setores estão inviabilizados de funcionamento".

Para os docentes, as condições de trabalho e estudo vêm se agravando dia a dia com falta de professores e técnico-administrativos, com a demora, interrupção e não execução de obras programadas, "obrigando docentes e estudantes a desenvolverem atividades em contêineres, bem como o não pagamento de serviços básicos".

O contingenciamento de recursos do Orçamento Geral da União 2015 foi anunciado na semana passada. Os ministérios das Cidades, da Saúde e da Educação lideraram os cortes. Juntas, as três pastas concentram 54,9% do contingenciamento (bloqueio) de R$ 69,946 bilhões de verbas da União. Na área de educação, o contingenciamento totalizou R$ 9,423 bilhões.

Ontem (27), o MEC divulgou uma nota na qual se diz aberto ao diálogo. . 

Veja a lista das Universidades que estão em greve: 

Universidade Federal do Acre

Universidade Federal do Amapá

Universidade Federal Rural da Amazônia

Universidade Federal do Pará

Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará

Universidade Federal de Rondônia

Instituto Federal do Piauí

Universidade Federal Rural do Semiárido

Universidade Federal de Campina Grande - Patos

Universidade Federal de Alagoas

Universidade Federal de Sergipe

Universidade Federal da Paraíba

Universidade Federal do Oeste da Bahia

Universidade Federal do Mato Grosso

Universidade Federal do Mato Grosso - Rondonópolis

Universidade Federal da Grande Dourados

Universidade Federal de Tocantins

Universidade Federal Fluminense

Saiba quais são as universidades com nota máxima no MEC

Universidade Estadual de Campinas, em Campinas (SP). Foto: iG PaulistaInstituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos. Foto: Divulgação/Jorge Gripp/ITAInstituto Militar de Engenharia (IME), no Rio de Janeiro. Foto: Flickr Thiago CampanateEscola de Ciências Sociais (FGV/CPDOC), em São Paulo. Foto:  Escola de Ciências Sociais – FGV/CPDOCUniversidade Federal de Lavras (Ufla). Foto: Reprodução/FlickrUniversidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte. Foto: Flickr LucasFaculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic, em Campinas. Foto: DivulgaçãoFaculdade de Tecnologia de Ourinhos (Fatec), em Ourinhos (SP). Foto: Divulgação/Centro Paula SouzaEscola Superior de Administração e Gestão da Baixada Santista (ESAGS Strong), em Santos (SP). Foto: Divulgação/EsagsFaculdade Fucape, em Vitória (ES). Foto: DivulgaçãoFaculdade de Administração de Empresas (Facamp), em Campinas. Foto: Divulgação/FacampInsper, em São Paulo. Foto: Divulgação/InsperFaculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Foto: Maíra Teixeira/iGEscola de Economia de São Paulo (FGV/EESP), em São Paulo. Foto: FGV/DivulgaçãoFaculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Foto: Divulgação/FajeEscola Brasileira de Economia e Finanças (FGV/EPGE), no Rio de Janeiro. Foto: FGV/DivulgaçãoEscola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (FGV/EBAPE), no Rio de Janeiro. Foto: FGV/DivulgaçãoEscola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho, em Belo Horizonte. Foto: ACS/FJPUniversidade Federal de Viçosa (UFV). Foto: Wikimedia Commons/Luiz EduardosUniversidade Federal do ABC (UFABC), Santo André (SP). Foto: DivulgaçãoUniversidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Foto: Wikimedia CommonsUnifesp. Foto: DivulgaçãoUniversidade Federal de São Carlos, São Carlos (SP). Foto: DivulgaçãoUniversidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foto: Divulgação/Agência de Comunicação da UFSC


compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas