Motivo do desligamento foi a falta de comprovação de regularidade fiscal. De 74, 11 são reincidentes e só poderão aderir novamente ao programa após o prazo de um ano

Agência Brasil

O Ministério da Educação (MEC) desvinculou 74 mantenedoras de instituições de ensino superior do Programa Universidade para Todos (ProUni) por falta de comprovação de regularidade fiscal. Desse total, 11 são reincidentes e só poderão aderir novamente ao programa após o prazo de um ano. As demais 63 mantenedoras podem apresentar recurso administrativo contra a decisão na Secretaria de Educação Superior.

A decisão e a lista com as mantenedoras desvinculadas estão publicadas na edição desta segunda-feira (25) do Diário Oficial da União. De acordo com a decisão, não haverá prejuízo para os estudantes que já participam do ProUni e eles terão as matrículas preservadas pelas mantenedoras.

Leia também:

Alunos mortos e de alta renda tiveram bolsas no Prouni, aponta auditoria

Documento Pátria Educadora não tem plano nacional como base, dizem especialistas

Ao informar a desvinculação, a decisão cita o Artigo 1° da Lei n° 11.096, de 13 de janeiro de 2005, que determina que a mantenedora deve comprovar, ao final de cada ano-calendário, a quitação de tributos e contribuições federais administrados pela Receita Federal, sob pena de desvinculação do ProUni, sem prejuízo para os estudantes beneficiados e sem ônus para o Poder Público.

Saiba alguns problemas da educação no Brasil:


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.