Avaliação, que faz parte do Pisa, tem como objetivo medir o domínio dos estudantes sobre o controle das finanças diárias, além de saber como eles resolvem as situações cotidianas

Agência Brasil

Estudantes brasileiros fazem pela primeira vez um teste internacional de educação financeira. A avaliação é aplicada como parte do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa) e vai medir o domínio dos estudantes sobre o controle das finanças diárias, além de saber como eles resolvem as situações cotidianas.

O Pisa é feito pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), aplicado a jovens de 15 anos. As provas começaram a ser aplicadas esta semana. Em 2014, a OCDE divulgou os primeiros resultados de educação financeira, mas o Brasil não estava entre os 18 países que participaram da avaliação. Os resultados nos participantes mostraram que um em cada sete alunos não consegue fazer decisões simples de gastos diários, mas apenas um a cada dez resolve problemas financeiros complexos. 

O teste de educação financeira será aplicado a um grupo de alunos que será sorteado dentre os 33 mil que fazem o Pisa. O número foi divulgado nesta quinta-feira (7) pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Os estudantes devem ter nascido em 1999 e estar matriculados a partir do sétimo ano do ensino fundamental.

O Pisa mede o desempenho dos estudantes em três áreas do conhecimento – leitura, matemática e ciências. Neste ano, os estudantes são avaliados em ciências. Outra novidade é que o exame é todo feito no computador. O Pisa tem como propostas produzir indicadores que contribuam para a discussão da qualidade da educação nos países participantes e permitir a comparação da atuação do estudante e do ambiente de aprendizagem entre diferentes países.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.