MEC se oferece para mediar relação entre professores e governo do Paraná

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Após manifestação violentamente reprimida, professores estaduais decidem nesta terça-feira os rumos da paralisação

Agência Brasil

O ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, disse nessa segunda-feira (4), em entrevista à imprensa, que se ofereceu para mediar o diálogo dos professores com o governo do Paraná. Os docentes estão otimistas com a ajuda, já o estado diz que não foi procurado pelo governo federal.

Os professores do estado estão em greve desde a última segunda-feira (27). No dia 29, os profissionais e a Polícia Militar (PM) entraram em confronto, o que resultou em mais de 200 feridos, de acordo com a Prefeitura de Curitiba.

"Nós nos dispusemos, caso seja do interesse das partes, no estado do Paraná, a mediar a relação entre o governo do estado e os professores, sobretudo depois dos eventos trágicos de quarta-feira passada, com grande número de professores feridos, em função da repressão", disse o ministro Janine Ribeiro. Segundo ele, ainda não houve resposta de nenhuma das partes.

A secretária Educacional do Sindicato dos Professores do Paraná (APP-Sindicato), Walkíria Olegário Mazeto, disse que o MEC procurou o sindicato na semana passada, mas a categoria entendeu que a pasta não poderia intervir em uma das principais pautas: a não aprovação do então projeto de lei que altera a Previdência estadual.

Após o confronto, no entanto, a categoria diz que conta com o apoio do MEC. "Neste momento toda ajuda é bem-vinda", adianta. De acordo com ela, representantes do sindicato participarão de audiências nesta quarta-feira (6), na Câmara e no Senado, e buscarão a ajuda do governo federal pessoalmente, em Brasília.

Por meio de nota, o governo do Paraná diz que em nenhum momento, desde que foi deflagrada a greve, "o governo do estado do Paraná recebeu qualquer oferta de mediação com professores da rede estadual de ensino, vinda do Ministério da Educação. É lamentável que a situação seja usada com tom claramente político por representantes do governo federal".

Apesar de o Estado negar, o MEC ressalta que o secretário de Educação Básica, Manuel Palacios, conversou com o secretário de Educação do Estado, Fernando Xavier.

Os professores protestavam contra projeto de lei que altera a Previdência estadual. O projeto foi aprovado e sancionado. A lei sancionada pelo governo altera o atual plano de Previdência dos servidores, o Paraná Previdência, formado pelos fundos Militar, Financeiro e Previdenciário. O governo paranaense quer tirar 33 mil aposentados com mais de 73 anos do Fundo Financeiro, sustentado pelo Tesouro estadual, que está deficitário, e transferi-los para o Fundo de Previdência estadual, pago pelos servidores e pelo governo, que está superavitário.

A categoria continua em greve, e se reúne nesta terça-feira (5) à tarde para definir os rumos da paralisação.

Veja imagens do protesto dos professores do Paraná

Professores da Bahia publicam foto em luto pela educação após repressão de protesto de professores do Paraná (4.5.2015). Foto: Reprodução/FacebookProfessores de Teresina (PI) publicam foto em luto pela educação após repressão de protesto de professores do Paraná (4.5.2015). Foto: Reprodução/FacebookProfessores de Salto Do Jacuí (RS) publicam foto em luto pela educação após repressão de protesto de professores do Paraná (4.5.2015). Foto: Reprodução/FacebookProfessor fica ferido em confronto com policia. Foto: SMSC/29.04.15Feridos foram levados a hospitais da região, que ficaram lotados. Foto: SMSC/29.04.15Policiais usaram balas de borracha para conter manifestantes. Foto: SMSC/29.04.15Mais de 100 pessoas ficaram feridas. Foto: SMSC/29.04.15Professores do Paraná e PM entram em confronto no centro de Curitiba (29.4.2015). Foto: Divulgação/APP SindicatoPolícia usou bombas de gás, balas de borracha e jatos de água para dispersar manifestantes. Foto: SMSC/29.04.15PM usou bombas de gás lacrimogênio durante protesto de professores do Paraná (28.4.2015). Foto: Divulgação/APPPM usou bombas de gás lacrimogênio durante protesto de professores do Paraná (28.4.2015). Foto: Divulgação/APP SindicatoProfessores estaduais e PM entram em confronto no centro de Curitiba (29.4.2015). Foto: Divulgação/APP SindicatoApós confronto com PM, professores mantiveram acampamento em frente à Assembleia Legislativa (28.4.2015). Foto: Divulgação/APP SindicatoEm greve, professores do Paraná passam noite em frente à Assembleia Legislativa´(29.4.2015). Foto: Divulgação/APP Sindicato


Leia tudo sobre: mecgreve de professoresparaná

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas