Ministro da Educação garante que contratos do Fies serão renovados e pede calma

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Inscrições de universitários em programa de financiamento estudantil devem ser feitas até o dia 30 de abril

Agência Brasil

A uma semana para o fim do prazo de renovação dos contratos do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), o ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, garantiu hoje (23) que todas as matrículas serão renovadas e informou que a pasta vai prorrogar o prazo de 30 de abril se for necessário.

“Estamos vendo que todo dia aumenta o número de pessoas que renovaram seus contratos e aumenta também o número de pessoas que firmam novos contratos. Está, por enquanto, viável a data de 30 de abril para encerrar, mas se houver qualquer problema maior, não teremos problema em ampliar o prazo porque nossa prioridade é o estudante. Não queremos que ele tenha nenhum tipo de sofrimento ou problema com isso”, disse o ministro.

Novas regras: Tire suas dúvidas sobre mudanças nas regras do Fies

Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, dá entrevista à programa de rádio
Antonio Cruz/ABr
Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, dá entrevista à programa de rádio

De acordo com o Ministério da Educação (MEC), até ontem (23), o Fies renovou 84% dos 1,9 milhão de contratos vigentes. Foram firmados 242 mil novos contratos, e 296 mil alunos ainda não regularizaram a situação.

Sobre dificuldades relatadas por estudantes que não conseguiram renovar o contrato por problemas no sistema do MEC, Ribeiro ressaltou que a pasta está trabalhando para assegurar o funcionamento.

“Esse problema às vezes é físico, é do sistema, tem muita demanda. Pedimos que [o aluno] não fique tentando insistentemente o tempo todo, que dê uma pausa entre uma tentativa e outra porque, se sobrecarrega [o sistema], pode haver problemas. Não tem que se preocupar. Se isso chegar a um ponto de, poucos dias antes de encerrado o prazo do dia 30, dar problemas, nós prorrogaremos [o prazo]”, disse ele, que participou do programa Bom Dia, Ministro.

Mensalidades reajustadas

No caso de universidades que reajustaram as mensalidades acima do índice (6,41%) autorizado pelo governo, o ministro destacou que os alunos não serão prejudicados e que todos os contratos serão renovados. “No caso de haver discrepâncias quanto ao valor que a instituição quer cobrar, se quiser cobrar acima de 6,41%, o MEC vai discutir com a instituição, mas ele vai renovar a parte do aluno. O aluno pode ficar tranquilo porque todas as renovações serão asseguradas.”

Este ano, o Fies passou a ter novas regras e limitações. Antes, a adesão podia ser feita durante todo o ano e não havia limite de nota no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Agora, o estudante que obtiver média inferior a 450 pontos no Enem não poderá se inscrever no Fies. O candidato também não pode tirar nota 0 na redação. Estão isentos dessa regra os professores da rede pública matriculados em cursos de licenciatura, normal superior ou pedagogia.

Análise: 'Não adianta entrar em faculdade de baixa qualidade', diz pesquisador

Em relação aos cursos, estão sendo priorizados para os novos contratos os que obtiveram nota 5 – pontuação máxima dada pelo MEC. Todos serão atendidos. Para os financiamentos de graduações com nota 3 e 4, serão considerados alguns aspectos regionais, priorizando localidades e cursos que historicamente foram menos atendidos.

O Fies oferece cobertura da mensalidade de cursos em instituições privadas de ensino superior a juros de 3,4% ao ano. O estudante começa a quitar o financiamento 18 meses após a conclusão do curso. O programa acumula 1,9 milhão de contratos e abrange mais de 1,6 mil instituições.

Confira as universidades com nota máxima no MEC

Universidade Estadual de Campinas, em Campinas (SP). Foto: iG PaulistaInstituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), em São José dos Campos. Foto: Divulgação/Jorge Gripp/ITAInstituto Militar de Engenharia (IME), no Rio de Janeiro. Foto: Flickr Thiago CampanateEscola de Ciências Sociais (FGV/CPDOC), em São Paulo. Foto:  Escola de Ciências Sociais – FGV/CPDOCUniversidade Federal de Lavras (Ufla). Foto: Reprodução/FlickrUniversidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Belo Horizonte. Foto: Flickr LucasFaculdade de Odontologia São Leopoldo Mandic, em Campinas. Foto: DivulgaçãoFaculdade de Tecnologia de Ourinhos (Fatec), em Ourinhos (SP). Foto: Divulgação/Centro Paula SouzaEscola Superior de Administração e Gestão da Baixada Santista (ESAGS Strong), em Santos (SP). Foto: Divulgação/EsagsFaculdade Fucape, em Vitória (ES). Foto: DivulgaçãoFaculdade de Administração de Empresas (Facamp), em Campinas. Foto: Divulgação/FacampInsper, em São Paulo. Foto: Divulgação/InsperFaculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo. Foto: Maíra Teixeira/iGEscola de Economia de São Paulo (FGV/EESP), em São Paulo. Foto: FGV/DivulgaçãoFaculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia, em Belo Horizonte. Foto: Divulgação/FajeEscola Brasileira de Economia e Finanças (FGV/EPGE), no Rio de Janeiro. Foto: FGV/DivulgaçãoEscola Brasileira de Administração Pública e de Empresas (FGV/EBAPE), no Rio de Janeiro. Foto: FGV/DivulgaçãoEscola de Governo Professor Paulo Neves de Carvalho, em Belo Horizonte. Foto: ACS/FJPUniversidade Federal de Viçosa (UFV). Foto: Wikimedia Commons/Luiz EduardosUniversidade Federal do ABC (UFABC), Santo André (SP). Foto: DivulgaçãoUniversidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Foto: Wikimedia CommonsUnifesp. Foto: DivulgaçãoUniversidade Federal de São Carlos, São Carlos (SP). Foto: DivulgaçãoUniversidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foto: Divulgação/Agência de Comunicação da UFSC


Leia tudo sobre: fiesensino superiorrenato janinemec

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas