"É um erro atribuir aos municípios a responsabilidade pela educação de base"

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Ministro da Ciência e Tecnologia, Aldo Rebelo criticou resultado ruim do Pisa à transferência da educação básica para os municípios em audiência pública na CCT nesta terça-feira

Agência Brasil

Aldo afirmou que sua primeira preocupação é elevar o nível de informação científica da população
MARCELO CAMARGO/AGÊNCIA BRASIL
Aldo afirmou que sua primeira preocupação é elevar o nível de informação científica da população

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aldo Rebelo, considerou um erro a Constituição Federal de 1988 atribuir aos municípios a responsabilidade pela educação de base.  "Não creio que o município seja a esfera da Federação detentora da capacidade de entender a educação como elemento central da questão nacional da formação do País", disse em audiência pública na Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado nesta terça-feira (7).

Aldo Rebelo disse ainda que fica "estarrecido" com a colocação do Brasil na 55ª posição entre os 65 países no ranking de habilidade para leitura. Em matemática, ressaltou, o lugar do Brasil é ainda pior – 58ª posição – segundo o Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa).

Para o ministro, o processo de formação nacional passa pela definição de áreas de desenvolvimento pelo governo federal por meio da educação, processo que é prejudicado em razão de a educação básica estar sob o comando das prefeituras.

Leia mais:

MEC vai manter plano de tornar o Enem digital

Ainda sem orçamento, Janine diz que MEC analisa programas que podem sofrer corte

"A educação de base está bem localizada sob responsabilidade dos municípios? Eu creio que não", criticou ao responsabilizar o resultado ruim do Pisa à transferência da educação básica para os municípios.

O papel da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) foi outro ponto que mereceu críticas do ministro de Ciência e Tecnologia. "Acho que a Finep poderia se transformar numa agência financeira com status de banco para financiar a inovação, mas acho que o BNDES cumpre essa obrigação", avaliou.

Para o ministro, antes do governo do ex-presidente Lula, "o dinheiro ficava parado sem projetos para inovação" no BNDES. Hoje, segundo ele, o Banco destina uma parte de recursos importantes para a inovação.

Logo na abertura da audiência pública Aldo Rebelo disse que sua primeira preocupação é elevar o nível de informação científica da população, principalmente dos jovens e das crianças. “O Brasil paga um preço muito alto por sua ineficiência na área de tecnologia”, disse. Rebelo foi convidado a participar nesta terça-feira da reunião CCT do Senado para falar das prioridades da pasta.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas