Aulas de escola da Uerj voltam hoje apenas para alunos do fundamental

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

Por falta de professores contratados, colégio modelo da Uerj atrasou início de aulas do ensino fundamental em um mês

Agência Brasil

O ano letivo no Colégio de Aplicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (CAp-Uerj) começa nesta terça-feira apenas para estudantes do 1º ao 5º ano do ensino fundamental. Antes previstas para 2 de março, as aulas têm sido adiadas por falta de professores. 

Os alunos do 6º ao 9º ano do fundamental e dos 1º e 2º anos do ensino médio devem retornar a partir do dia 13 de abril, informou o diretor da instituição, Lincoln Tavares.

De acordo com um comunicado do CAp-Uerj, o motivo dos adiamentos é a falta de professores para atender a todas as turmas, situação causada por falta de preenchimento das vagas abertas no último concurso, além da autorização de menos vagas do que o necessário.

Segundo Tavares, chegaram nove professoras concursadas que suprirão a demanda do núcleo comum da primeira fase do ensino fundamental. “Nós temos agora uma possibilidade, já estamos acenando isso para os pais e para a comunidade, de começarmos as aulas do núcleo comum dos anos iniciais no dia 31 de março. No ensino fundamental 1, que vai da alfabetização, 1º ano até o 5º ano e tem as disciplinas que compõem esse núcleo, que seriam aquelas que tradicionalmente todos nós passamos”.

Porém, o diretor destacou que o diferencial do CAp-Uerj é justamente a oferta de outras disciplinas obrigatórias no currículo, o que não poderá ser atendido por enquanto. “O currículo desses meninos não é só formado do núcleo comum, aqui no CAp, e aí já começa a diferença da escola. Ele é também formado por música, por artes, clube de leitura. Temos a oferta da recuperação paralela como disciplina, o atendimento educacional especializado para pessoas com deficiência. Nenhuma dessas outras questões fora do núcleo comum a gente está tendo condições de oferecer”.

Para os estudantes do 6º ano do fundamental ao 2º do médio, a falta de professores ainda é grande e a instituição espera receber mais concursados e contratados no começo de abril. Mas a escola de formação de professores ainda não tem previsão para voltar a ser atendida. “O CAp também tem disciplinas dos cursos de graduação, nas licenciaturas. Hoje nós não temos nenhum professor alocado nessas disciplinas, porque não temos professores o suficiente”.

Até o ano passado, o CAp-Uerj contava com 104 professores substitutos e 106 professores efetivos, mas uma decisão judicial fez com que todos os substitutos fossem dispensados. O concurso autorizou 65 vagas para a unidade, mas até o dia 16 de março 28 professores tinham sido contratados. O diretor explicou que, como o colégio também oferta disciplinas de graduação, é exigida uma maior formação dos professores.

“Para ser aprovado aqui, ele [o professor] tem que ter perfil para isso. Não pode ser um especialista na educação superior, que de nada entenda da experiência em sala de aula na educação básica. Ao mesmo tempo, ele precisa entender que a instituição é formadora de professor na educação superior. Como ele também é professor universitário, a gente faz a prova de titulação e precisa, no mínimo, de mestrado. Para substituto não precisa, mas os melhores pontuados são os com mestrado e doutorado”.

Leia tudo sobre: uerjeducação básicaigrj

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas