Professores estaduais de São Paulo decidem manter greve

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Grevistas dizem que adesão chegou a 140 mil professores; passeata reuniu 1,5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar

Agência Brasil

Os professores da rede paulista de ensino decidiram manter a greve iniciada na sexta-feira da semana passada. A decisão foi tomada na tarde de hoje (20), durante assembleia no vão livre do Museu de Arte de São Paulo. Segundo a Polícia Militar, cerca de 1,5 mil pessoas participaram da reunião. Para o sindicato da categoria, foram 5 mil.

Protesto dos professores da Rede Estadual de SP, na Avenida Paulista, em São Paulo (20.03.15)
Renato S. Cerqueira/Futura Press
Protesto dos professores da Rede Estadual de SP, na Avenida Paulista, em São Paulo (20.03.15)

Os grevistas seguem agora em caminhada pela Avenida Paulista, mesmo debaixo de chuva. A intenção é chegar à Secretaria Estadual de Educação, no centro da capital.

Segundo Maria Izabel Azevedo Noronha, presidenta do sindicato, a adesão dos professores à greve têm sido grande. “A adesão nas escolas está bem alta. Temos hoje quase 140 mil professores parados”, disse ela.

Semana passada: Professores de SP aprovam greve da rede estadual a partir de segunda

Os professores reivindicam aumento salarial de 75,33%. “Estamos reivindicando salário, que é a questão central, além de sermos contra a superlotação nas salas de aula e pedirmos outra forma de contratação”, disse.

Dentro de uma semana os professores farão uma nova assembleia no vão livre do Museu de Arte de São Paulo.

Segundo a Secretaria Estadual da Saúde, 96% dos professores compareceram nas escolas estaduais do Estado entre os dias 13 e 19 de março. "O índice de 4% de faltas está dentro da normalidade da rede estadual de ensino", informa a pasta.

Leia tudo sobre: IGSPGreveprofessores

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas