CPI das universidades paulistas entrega relatório final nesta terça-feira

Por Agência Brasil |

compartilhe

Tamanho do texto

CPI recomendou o envio do relatório final para o Ministério Público para que as denúncias sobre os abusos sejam apuradas

Agência Brasil

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Assembleia Legislativa (Alesp) de São Paulo, que investiga denúncias de violação de direitos humanos nas universidades paulistas, apresentará nesta terça-feira (10) o relatório final de suas atividades.

Segundo a Alesp, a CPI fez quase 40 reuniões, nas quais ouviu relatos de abusos denunciados por estudantes, professores e funcionários das universidades públicas e privadas de São Paulo. Reitores e diretores de faculdades também foram ouvidos. Nos depoimentos foram relatados casos de violência não somente em trotes, mas em festas e até mesmo no cotidiano acadêmico.

Na manhã de segunda (9), em Campinas, compareceram à CPI apenas dois dos 14 convidados a depor sobre os casos de violência na Pontifícia Universidade Católica (PUC-Campinas) e na Universidade Estadual (Unicamp). Os dois depoentes são alunos que estiveram no comando da Associação Atlética do curso de medicina da PUC-Campinas, entidade que tem entre suas atribuições promover a prática de esporte entre os alunos, mas que é acusada de fomentar o trote violento. Ambos negaram as acusações.

Em relatório parcial, divulgado no fim do mês passado, a CPI recomendou o envio do relatório final para o Ministério Público e demais autoridades para que as denúncias sobre os abusos sejam apuradas e para que as autoridades responsáveis possam tomar as “medidas judiciais e administrativas cabíveis”.

Relembre trotes e casos de violência em universidades do País

Cartaz em apoio a aluna vítima de tentativa de estupro na Poli-USP (9.10.2013). Foto: ReproduçãoDepois de se sujaram com ovos, tinta, farinha e café, os calouros tiveram de rodar até ficar tontos na UnB (14.07.10). Foto: Luana Lleras/UnB Agência/DivulgaçãoEstudantes lambem linguiça com leite condensado durante trote do curso de agronomia da Universidade de Brasília (31,01.2011). Foto: Agência UnBImagem onde caloura pintada de preto aparece acorrentada junto a uma placa "caloura Chica da Silva". Foto: ReproduçãoTodos os calouros tiveram de entrar juntos na piscina de lama, vegetais, legumes e lixo (14.07.2010). Foto: Luana Lleras/UnB Agência/DivulgaçãoCalouros tiveram de andar em fila indiana, com as mãos entrelaçadas entre as pernas uns dos outros, o chamado elefantinho (14.07.2010). Foto: Luana Lleras/UnB Agência/DivulgaçãoOs estudantes de agronomia tiveram de procurar sabonetes em uma piscina de lama. Foto: Luana Lleras/UnB Agência/DivulgaçãoCalouros escorregam em poça d'água no meio do corredor do principal prédio da universidade. Foto: DivulgaçãoTrote Unb. Foto: DivulgaçãoImagens de trote no ano passado foram anexadas à denúncia à universidade. Foto: ReproduçãoCaloura é pintada por veteranos em trote da Poli na USP. Foto: Amana Salles/Foto ArenaAmarrados, calouros são conduzidos para uma festa no gramado da faculdade. Pais acompanham e fotografam tudo. Foto: Amana Salles/Foto ArenaHomero Santiago Maciel, 19 anos, recebe banho na lama, durante o trote da Faculdade Politécnica da USP. Foto: Amana Salles/Foto ArenaBeatriz Castro, de 18 anos, recebeu trote com tinta, farinha e leite condensado: "Ainda não caiu minha ficha de que passei na Poli". Foto: Amana Salles/Foto ArenaBrincadeira com fezes e urina teria sido realizada perto do campus da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Foto: ReproduçãoFrente Feminista denuncia atos obscenos durante trote na USP São Carlos. Foto: Frente Feminista USP


Leia tudo sobre: trotetrote universitárioensino superior

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas