Investigação afirma que, inicialmente, eles pagariam R$ 7 mil à quadrilha responsável pelo crime e outros R$ 34 mil caso fossem aprovados no processo seletivo da universidade

Uma ação da Polícia Civil do Estado de São Paulo resultou na prisão de onze estudantes, na tarde de domingo (18), durante a realização de uma prova de vestibular no interior paulista. As detenções vieram após denúncias de que seria praticada fraude entre alguns dos candidatos a vagas de Medicina no Centro Universitário de São João da Boa Vista, localizado a 218 km da capital.

Relembre fraudes em vestibulares e no Enem em 2014:

Para chegarem aos suspeitos, os investigadores se disfarçaram de fiscais e entraram nas salas onde ocorriam as provas. Desta forma, descobriram onze candidatos agindo de forma suspeita, pedindo para ir ao banheiro e demonstrando nervosismo. Abordados pelos agentes, eles foram flagrados portando telefones celulares, canetas, papéis com transcrição de mensagens de texto SMS e folhas de respostas das provas.

A investigação apurou que o crime ocorreu da seguinte forma: um dos homens da quadrilha entraria para fazer o vestibular, resolveria toda a parte objetiva da prova e deixaria o prédio onde ela era realizada após às 17h30, a partir de quando passou a passar as respostas por SMS aos estudantes.

Leia mais:
Retrospectiva 2014: veja fraudes descobertas em vestibulares e vazamento do Enem

Os detidos pagariam cerca de R$ 7 mil à quadrilha pelas respostas, de acordo com a investigação. Caso fossem aprovados no processo seletivo, no entanto, ainda teriam de gastar mais R$ 35 mil.

Somente as iniciais dos estudantes foram divulgadas: M.M.C., 18 anos, E.M.B., 19, H.F.P., 19, F.F., 20, A.C.H.N., 21, T.Z.M., 21, C.C.J.L., 24, F.F.B., 18, além das enfermeiras C.R.R., 31, A.P.L.V, 28, e D.R.M.S.I, 32.

Todos os suspeitos confessaram participação na fraude à Polícia Civil, mas a negaram posteriormente. A fiança foi estabelecida em R$ 42 mil para cada um dos envolvidos. Nenhum deles a pagou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.