Governo do DF adia início das aulas; professores reclamam atraso de salários

Por Agência Brasil | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Calendário letivo será atrasado em duas semanas. Aulas da rede estadual deveriam começar no dia 9 de fevereiro

Agência Brasil

O Governo do Distrito Federal (GDF) informou nessa quarta-feira (7) que o início do ano letivo nas escolas públicas será atrasado em duas semanas. O anúncio acontece logo após os professores da rede estadual ameaçarem atrasar o inícios das aulas, previsto para o dia 9 de fevereiro, em decorrência do atraso do pagamento dos salários da categoria.

Ao informar sobre a alteração, o GDF justificou a medida como necessária para realizar reformas em boa parte das escolas da capital. Com a alteração, as aulas vão ter início no dia 23 de fevereiro.

Serão gastos cerca de R$ 10 milhões para a reforma de parte das 657 escolas que compõem a rede. A verba vem do governo federal, por meio do Programa de Descentralização Administrativa e Financeira.

Segundo o governador recém-empossado Rodrigo Rollemberg não há dinheiro para fazer os pagamentos de servidores de saúde e da educação nesta quinta-feira, como era previsto. De acordo com a secretaria de Fazenda, até o fim do mês, o déficit financeiro do GDF deve ser superior a R$ 3,5 bilhões.

A expectativa é de que os pagamentos sejam normalizados no fim da próxima semana.

Na última segunda-feira (6), os professores protestaram em frente ao Palácio do Buriti, cobrando o pagamento do salário de dezembro, o 13º salário e as férias.

Leia tudo sobre: DFBrasíliaeducação básicaprofessor

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas