Um em cada sete jovens conclui ensino superior no Brasil, aponta IBGE

Por Cristiane Capuchinho - iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Acesso a universidade no País cresceu, mas o índice é baixo, diz Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico

A proporção de brasileiros entre 25 e 34 anos que concluiu o ensino superior quase dobrou entre 2004 e 2013, passando de 8,1% para 15,2% (1 a cada 7 brasileiros). 

Veja fotos dos alunos que prestaram o Enem este ano

Candidata consegue chegar no local de prova poucos instantes do fechamento do portão. (9/11). Foto: Agência BrasilPais esperam filhos até o final das provas no Distrito Federal.  Yolanda da Silva Marques, Genoncione Resende Souza  e Jesus Gomes Pereira. Foto: Elza Fiuza/Agência BrasilOs estudantes Bianca Luana, Alexandre Amaral e Ilana Vannuci se queixaram do cansaço após os dois dias de prova. 99/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloJuliana Toleti e Bruna Belloto prestaram o Enem 2014 com treineiras no campus da Uninove, Barra Funda. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloSobre o tema da redação, a estudante Beatriz Martins, 17, é contra a publicidade infantil. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloAdemar Barreto, 52, pleitea uma vaga no curso de tecnologia da informação com a nota, saiu às 15h03 do campus e não gostou da proposta da redação. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloEstudante se atrasa e não consegue chegar a tempo para realizar prova do 2º dia do Enem. (9/11). Foto: Agência BrasilJosé Carlos, de 18 anos, perdeu a hora e chegou atrasado no 2º dia do Enem. Ele queria pontuação para o Ciência sem Fronteiras (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGÀ frente, estudantes sai sem falar com a imprensa após chegar atrasado e perder prova do Enem (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGCandidato do Enem corre para chegar a tempo no local onde prova será aplicada. (9/11). Foto: Agência BrasilGuilherme da Silva, 25, vende salgadinhos, doces e bebidas todos os dias no campus da Uninove, Barra Funda. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloGeorgina Santos, 44 anos, veio vender suas batatas fritas. Ela não veio no sábado, mas ao ver o movimento pela TV, decidiu arriscar. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloCandidatos chegam para o 2º Dia de prova do Enem, em Brasília. Foto: Agência BrasilDorival formou filhos e netos e agora quer estudar também (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGLilian, Adna e Karina saíram às 9h de casa para conseguir chegar às 11h no local de prova (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGBeatriz Ribeiro achou a prova de física a mais complicada (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGMovimentação em frente ao prédio da Uninove, na Barra Funda, para o 2º dia do Enem. Foto: Barbara Liborio/iGMovimentação em frente ao prédio da Uninove, na Barra Funda, para 2º dia do Enem (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGFernanda Sazuki com a mãe, Regiane Nascimento; jovem tem autismo moderado e faz Enem para pleitear certificado do ensino médio (9/11). Foto: Barbara Liborio/iG8.nov.2014 - Fernando Henrique, 20, deixa local de prova na Barra Funda (em São Paulo) no primeiro dia de exame. Foto: Barbara Liborio/iG8.nov.2014 - Raimunda de Souza, 40, chegou antes do meio dia com a filha Luana, 19 . Foto: Barbara Liborio/iG8.nov.2014 - A candidata Cláudia Luna, 35, fez as provas do primeiro dia do Enem 2014 na Barra Funda, em SP. Foto: Barbara Liborio/iG8.nov.2014 - Após terminar a prova do primeiro dia do Enem 2014, o candidato Felipe Assunção, 18, está mais confiante para a prova de exatas amanhã. Foto: Barbara Liborio/iGEstudante chega atrasada no campus da Uerj, no Rio (8/11). Foto: Tomaz Silva / Agência BrasilEstudante não consegue entrar para a prova (8/11). Foto: Tomaz Silva / Agência BrasilGabrielle Bittencourt se perdeu no metrô, chegou atrasada e perdeu a prova. Foto: Barbara Liborio/iGCamila Trota errou o local, chegou atrasada e perdeu prova. Foto: Barbara Liborio/iGCandidata corre para entrar antes do fechamento dos portões. Foto: Agência BrasilLuandra Pereira, 21 anos, chegou atrasada e não conseguiu fazer a prova. Foto: Barbara Liborio/iGCandidata chega atrasada e fica de fora do Enem. Foto: Agência BrasilCandidatos chegam à UERJ, no Rio, para primeiro dia do Enem. Foto: Tomaz Silva / Agência BrasilHomem confere local de prova em cartão de confirmação do Enem. Foto: Agência BrasilMulher vende caneta na porta de local de exame . Foto: Agência BrasilEstudantes chegam para o Enem na Universidade Uniceub, na Asa Norte, Brasília. Foto: Wilson Lima/iG BrasíliaEstudantes se aproximam do portão de entrada da Universidade Uniceub, na Asa Norte, em Brasília. Foto: Wilson Lima/iG BrasíliaProfessor Márcio Barbosa dá aula de matemática na 'porta do Enem' em SP. Foto: Barbara Liborio/iGMovimentação dos alunos à espera da abertura dos portões. Foto: Barbara Liborio/iGAmanda Garrido ouve Avenged Sevenfold antes do início da prova em SP. Foto: Barbara Liborio/iGLaís ao lado do pai, Paulo Tanaka, curtem música antes da prova. Foto: Barbara Liborio/iGAlunos aguardam abertura dos portões no campus da UFRJ, no Rio de Janeiro. Foto: Futura PressAlunos aguardam abertura dos portões no campus da UFRJ, no Rio de Janeiro. Foto: Futura PressFernanda, 21, tem autismo e sonha em fazer web designer. Ela aguarda abertura dos portões na Uninove, Campus Barra Funda, em SP . Foto: Futura PressAglomeração de estudantes no momento em que os portões abriram, em São Paulo. Foto: Barbara Liborio/iGElizabeth Gomes, 67, está em busca do certificado do ensino médio. ""Não pude estudar na época certa", diz ela, que sonha em fazer faculdade de matemática. Foto: Barbara LibórioO aposentado José Petronilho, 52, veio fazer a prova em busca de uma nota que lhe renda uma bolsa de estudos no curso de medicina veterinária. Foto: Barbara LibórioVista da aula de matemática improvisada. Foto: Barbara Liborio/iGAlexandre Neto, 22, aproveitou a aula para pegar algumas dicas . Foto: Barbara Liborio/iGAs estudantes Gabriela Torres e Alana Calixto não assistiram à aula com medo de se confundirem. Foto: Barbara Liborio/iGMovimentação de alunos à espera da abertura dos portões para o Enem. Foto: Barbara Liborio/iGMovimentação dos alunos à espera da abertura dos portões. Foto: Barbara Liborio/iGAnna Stefani trouxe a mãe e o irmão com ela; jovem quer uma vaga na medicina da Unifesp. Foto: Barbara Liborio/iGAlexandre Barbosa, 21, chegou às 9h para evitar imprevisto. Ele quer uma vaga no curso de Direito em federais. Foto: Barbara Liborio/iGIngrid Medina, 16, está no 2º ano do Ensino Médio e presta o Enem como treineira. Ela quer estudar medicina na UNIFESP. Foto: Barbara Liborio/iG

Dia 2: 40% dos estudantes de ensino superior usam ProUni ou Fies

Apesar da melhora ao acesso a universidades, o índice ainda é o mais baixo dos países participantes da Organização de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Os dados foram divulgados na manhã desta quarta-feira (17) pelo IBGE.

No mesmo período, os estudantes mais ricos deixaram de ser maioria em universidades públicas e privadas e também aumentou o número de jovens da população mais pobre que tem acesso ao ensino superior. Em 2013, os 20% mais ricos representavam 38,8% dos universitários em instituições públicas e 43% em privadas.

Leia: Com picos no Norte e Nordeste, ensino superior alcança 7,3 milhões de matrículas

Além disso, aumentou também o número de alunos nos bancos do ensino superior na idade adequada (entre 18 e 24 anos). Em 2013, 55% dos jovens nessa idade estavam nessa etapa do ensino, frente a 32,9% de 2004.

No entanto, essa melhora na adequação entre idade e escolaridade é desigual entre brancos, pretos e pardos. Enquanto do total de estudantes brancos de 18 a 24 anos, 69,4% frequentavam o ensino superior, apenas 40,7% dos pretos ou pardos cursavam o mesmo nível.

Escolaridade aumenta com desigualdade

Entre 2004 e 2013, aumentou também a escolaridade média do brasileiro com mais de 25 anos, que passou de 6,4 para 7,7 anos de frequência à escola. No entanto, essa média é insuficiente para que completar o ensino fundamental, que dura 9 anos.

Os mais pobres continuam sendo a população com menor escolaridade. Os 20% da população com menor rendimento passa, em média, apenas 5,4 anos na escola. Em 2004, esse número era de 3,7 anos.

Atraso escolar atinge 44,8% dos adolescentes 

Em 2013, 84,7% dos jovens de 15 a 17 anos estavam matriculados na escola. O problema é que 44,8% deles não estavam no ensino médio, o que significa que estavam em atraso escolar. A taxa é melhor que em 2004 (55,8%), mas ainda representa um desafio para a educação do país.

O problema atinge também o ensino fundamental, principalmente na população mais pobre. Entre ela, 54% apresentavam atraso escolar, esse índice é 3,3 vezes maior do que entre os 20% mais ricos.

Leia tudo sobre: ocdeibge

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas