Empresas superfaturavam preços de contratos e pagavam propina para ter vantagem em licitação de comida para escolas

Na manhã desta quinta-feira (11), a Polícia Federal prendeu 18 pessoas em Alagoas por fraude em compra de merenda escolar e material escolar de escolas públicas do Estado.

A Operação Farnel cumpriu ainda 42 mandados de busca e apreensão em Maceió e no interior do Estado.

A PF investigava desde 2012 a suspeita de fraude para beneficiar algumas empresas fornecedoras de merenda em licitações públicas. De acordo com as investigações, uma empresa fornecedora de merenda escolar apresentava ao diretor da escola as planilhas com as cotações de preços das empresas concorrentes, estas não existiam ou estavam em nome de “laranjas”.

A Controladoria Geral da União detectou superfaturamento de 10% nos valores pagos pelo poder público. Constatou-se ainda, que os gestores das escolas investigadas recebiam propina dos donos das empresas, aceitando a fraude.

Os presos responderão pelos crimes de corrupção, formação de quadrilha, fraude a licitação e falsidade documental.

Confira abaixo jornadas perigosas que crianças fazem para ir à escola



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.