Dados são preliminares e MEC diz não haver registro de fraudes; abstenção caiu de 29%, em 2013, para 28,64%

Dados do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), apontam que o Enem teve 1.519 candidatos eliminados, 236 deles por uso indevido do aparelho celular no local das provas. É um número muito maior do que o registrado no ano passado: 47. 

Neste ano, várias pessoas foram flagradas tirando fotos das provas e postando o material em redes sociais. Há registros de candidatos que foram eliminados por uso de outros aparelhos eletrônicos ou mesmo aqueles que pularam o muro de locais de provas. Foram registrados casos do gênero em Curitiba (PR) e em Brasília (DF). Os dados são preliminares e o MEC diz que não há registro de fraudes.

Em entrevista coletiva na noite deste domingo, o ministro da Educação, Henrique Paim, admitiu que a quantidade de pessoas eliminadas pode ser maior, já que resultado final depende da análise das atas dos locais de provas.

Abstenção continuam alta

Neste ano, o índice de abstenção foi de 28,64%, o menor desde 2011, quando 26,4% dos candidatos deixaram de fazer as provas.

“Tomamos neste ano medidas importantes que foram exatamente no sentido que houvesse uma maior conscientização das pessoas que se inscrevem no Enem. Estamos vendo que tivemos uma melhora pequena e que devemos, a partir deste resultado, adotar algumas medidas”, disse Paim. O ministro não adiantou quais medidas podem ser adotadas. 

Em 2013, o Enem teve índice de abstenção de 29%. Em 2012, 28,9% dos estudantes faltaram ao exame. “Historicamente, o Enem tem esse número de abstenções. Vamos ter que trabalhar e ver que tipo de medida podemos tomar, principalmente com relação aos reincidentes no dia da prova”, declarou.

No balanço geral, disse Paim, a prova deste ano foi tranquila e mostrou que o Enem está “consolidado”. “Nós temos, sem dúvida alguma, um exame que abre oportunidades para jovens e trabalhadores no Brasil.”

Veja fotos do Enem 2014:


    Leia tudo sobre: enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.