Confusão causada por nome de escola faz estudante perder a prova do Enem

Por Agência Brasil - Carolina Gonçalves |

compartilhe

Tamanho do texto

Duas unidades de um mesmo centro universitário foram usadas como um dos pontos; uma fica a 2 km da outra

Agência Brasil

Mesmo com a solidariedade dos fiscais que aguardaram até o último milésimo de segundo para fechar os portões, ao mesmo tempo em que gritavam para os mais atrasados correrem, Carol Costa, 20 anos, não conseguiu chegar a tempo para o segundo dia de provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Dois minutos depois de o cadeado ser trancado, restou à caixa de um mercado de Águas Claras, há pouco mais de 22 quilômetros do centro de Brasília, lamentar.

“Estava trabalhando e me liberaram às 11h. Agora é só no ano que vem”, disse. O atraso ocorreu por uma confusão que prejudicou outras pessoas ontem. Duas unidades de um mesmo centro universitário, a UDF, foram usadas como um dos pontos de aplicação do exame. O problema é que elas ficam a uma distância de quase 2 quilômetros uma da outra.

Algumas pessoas contratadas para panfletar em frente ao prédio não quiseram se identificar, mas relataram que isso gerou muita confusão ontem (8), no primeiro dia de prova do Enem. Segundo elas, como faltavam minutos para o fechamento dos portões, mesmo com a correria, nem todos chegaram ao local certo a tempo.

Os estudantes Bianca Luana, Alexandre Amaral e Ilana Vannuci se queixaram do cansaço após os dois dias de prova. 99/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloJuliana Toleti e Bruna Belloto prestaram o Enem 2014 com treineiras no campus da Uninove, Barra Funda. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloSobre o tema da redação, a estudante Beatriz Martins, 17, é contra a publicidade infantil. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloAdemar Barreto, 52, pleitea uma vaga no curso de tecnologia da informação com a nota, saiu às 15h03 do campus e não gostou da proposta da redação. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloEstudante se atrasa e não consegue chegar a tempo para realizar prova do 2º dia do Enem. (9/11). Foto: Agência BrasilJosé Carlos, de 18 anos, perdeu a hora e chegou atrasado no 2º dia do Enem. Ele queria pontuação para o Ciência sem Fronteiras (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGÀ frente, estudantes sai sem falar com a imprensa após chegar atrasado e perder prova do Enem (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGCandidata consegue chegar no local de prova poucos instantes do fechamento do portão. (9/11). Foto: Agência BrasilCandidato do Enem corre para chegar a tempo no local onde prova será aplicada. (9/11). Foto: Agência BrasilGuilherme da Silva, 25, vende salgadinhos, doces e bebidas todos os dias no campus da Uninove, Barra Funda. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloGeorgina Santos, 44 anos, veio vender suas batatas fritas. Ela não veio no sábado, mas ao ver o movimento pela TV, decidiu arriscar. (9/11). Foto: Bárbara Libório/ iG São PauloCandidatos chegam para o 2º Dia de prova do Enem, em Brasília. Foto: Agência BrasilDorival formou filhos e netos e agora quer estudar também (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGLilian, Adna e Karina saíram às 9h de casa para conseguir chegar às 11h no local de prova (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGBeatriz Ribeiro achou a prova de física a mais complicada (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGMovimentação em frente ao prédio da Uninove, na Barra Funda, para o 2º dia do Enem. Foto: Barbara Liborio/iGMovimentação em frente ao prédio da Uninove, na Barra Funda, para 2º dia do Enem (9/11). Foto: Barbara Liborio/iGFernanda Sazuki com a mãe, Regiane Nascimento; jovem tem autismo moderado e faz Enem para pleitear certificado do ensino médio (9/11). Foto: Barbara Liborio/iG8.nov.2014 - Fernando Henrique, 20, deixa local de prova na Barra Funda (em São Paulo) no primeiro dia de exame. Foto: Barbara Liborio/iG8.nov.2014 - Raimunda de Souza, 40, chegou antes do meio dia com a filha Luana, 19 . Foto: Barbara Liborio/iG8.nov.2014 - A candidata Cláudia Luna, 35, fez as provas do primeiro dia do Enem 2014 na Barra Funda, em SP. Foto: Barbara Liborio/iG8.nov.2014 - Após terminar a prova do primeiro dia do Enem 2014, o candidato Felipe Assunção, 18, está mais confiante para a prova de exatas amanhã. Foto: Barbara Liborio/iGEstudante chega atrasada no campus da Uerj, no Rio (8/11). Foto: Tomaz Silva / Agência BrasilEstudante não consegue entrar para a prova (8/11). Foto: Tomaz Silva / Agência BrasilGabrielle Bittencourt se perdeu no metrô, chegou atrasada e perdeu a prova. Foto: Barbara Liborio/iGCamila Trota errou o local, chegou atrasada e perdeu prova. Foto: Barbara Liborio/iGCandidata corre para entrar antes do fechamento dos portões. Foto: Agência BrasilLuandra Pereira, 21 anos, chegou atrasada e não conseguiu fazer a prova. Foto: Barbara Liborio/iGCandidata chega atrasada e fica de fora do Enem. Foto: Agência BrasilCandidatos chegam à UERJ, no Rio, para primeiro dia do Enem. Foto: Tomaz Silva / Agência BrasilHomem confere local de prova em cartão de confirmação do Enem. Foto: Agência BrasilMulher vende caneta na porta de local de exame . Foto: Agência BrasilEstudantes chegam para o Enem na Universidade Uniceub, na Asa Norte, Brasília. Foto: Wilson Lima/iG BrasíliaEstudantes se aproximam do portão de entrada da Universidade Uniceub, na Asa Norte, em Brasília. Foto: Wilson Lima/iG BrasíliaAmanda Garrido ouve Avenged Sevenfold antes do início da prova em SP. Foto: Barbara Liborio/iGLaís ao lado do pai, Paulo Tanaka, curtem música antes da prova. Foto: Barbara Liborio/iGAlunos aguardam abertura dos portões no campus da UFRJ, no Rio de Janeiro. Foto: Futura PressAlunos aguardam abertura dos portões no campus da UFRJ, no Rio de Janeiro. Foto: Futura PressFernanda, 21, tem autismo e sonha em fazer web designer. Ela aguarda abertura dos portões na Uninove, Campus Barra Funda, em SP . Foto: Futura PressAglomeração de estudantes no momento em que os portões abriram, em São Paulo. Foto: Barbara Liborio/iGElizabeth Gomes, 67, está em busca do certificado do ensino médio. ""Não pude estudar na época certa", diz ela, que sonha em fazer faculdade de matemática. Foto: Barbara LibórioO aposentado José Petronilho, 52, veio fazer a prova em busca de uma nota que lhe renda uma bolsa de estudos no curso de medicina veterinária. Foto: Barbara LibórioMovimentação dos alunos à espera da abertura dos portões. Foto: Barbara Liborio/iGVista da aula de matemática improvisada. Foto: Barbara Liborio/iGProfessor Márcio Barbosa dá aula de matemática na 'porta do Enem' em SP. Foto: Barbara Liborio/iGAlexandre Neto, 22, aproveitou a aula para pegar algumas dicas . Foto: Barbara Liborio/iGAs estudantes Gabriela Torres e Alana Calixto não assistiram à aula com medo de se confundirem. Foto: Barbara Liborio/iGMovimentação de alunos à espera da abertura dos portões para o Enem. Foto: Barbara Liborio/iGMovimentação dos alunos à espera da abertura dos portões. Foto: Barbara Liborio/iGAnna Stefani trouxe a mãe e o irmão com ela; jovem quer uma vaga na medicina da Unifesp. Foto: Barbara Liborio/iGAlexandre Barbosa, 21, chegou às 9h para evitar imprevisto. Ele quer uma vaga no curso de Direito em federais. Foto: Barbara Liborio/iGIngrid Medina, 16, está no 2º ano do Ensino Médio e presta o Enem como treineira. Ela quer estudar medicina na UNIFESP. Foto: Barbara Liborio/iG

“Mas eu fiz a prova ontem e sabia que era aqui, mas eu peguei um caminho diferente e me confundi”, contou Carol que concluiu o ensino médio e esperava ingressar numa faculdade agora. Ela ainda tentou convencer os fiscais, mas o cadeado havia sido trancado.

Em resposta, a assessoria de imprensa do Ministério da Educação lembrou que durante toda a campanha de divulgação do Enem, o órgão orientou, repetidas vezes, para que os participantes conferissem o endereço no cartão de confirmação da inscrição entregue há 15 dias. De acordo com os assessores, além da recomendação havia alerta para que os participantes que pudessem fosse ao local dias antes, para evitar confusões no dia da prova, e que chegassem com antecedência de uma hora.

Leia tudo sobre: enemvestibular

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas