Na Uninove da Barra Funda, os portões fecharam às 13h, pontualmente; quem chegou depois perdeu a prova

Gabrielle Bittencourt se perdeu no metrô, chegou atrasada e perdeu a prova
Barbara Liborio/iG
Gabrielle Bittencourt se perdeu no metrô, chegou atrasada e perdeu a prova

Em um dos locais com o maior contingente de candidatos, o prédio da Uninove, no bairro da Barra Funda, em São Paulo, o portão fehcou pontualmente às 13h.

Por questão de segundos, Luandra Pereira, de 21 anos, ficou para fora e perdeu a prova. Atropelada recentemente, ela ainda fala com dificuldade e explicou que o trânsito acima da média fez com que ela e o marido levassem mais de uma hora para fazer o trajeto da Vila Guilherme, bairro onde moram na zona norte da cidade, até o campus.

Ao ver a situação da estudante, ainda machucada por conta do acidente, muitos pais e acompanhantes chegaram a fazer um protesto para pedir a liberação do portão, mas não teve jeito. Luandra, que prestava o Enem pela terceira vez em busca de uma vaga no curso de Enfermagem, não teve a entrada liberada.

Errei de escola

Camila Trota, de 20 anos, se confundiu com o local da prova e foi a uma outra unidade. Quando se deu conta do erro, já era tarde. O sonho de fazer arquitetura com a nota obtida no Enem terá de ser adiado. 

Fábio Silva de Souza, de 34 anos, também foi ao local errado. Ele explica que como se mudou de casa recentemente, acabou não recebendo o cartão de confirmação e só neste sábado pela manhã descobriu onde faria o exame. Chegou atrasado e também ficou para fora. 

Como não quer adiar o sonho de estudar engenharia civil, a estudante Gabrielle Bittencourt, 17, diz que fará a prova do domingo. Neste sábado, ela se perdeu no metrô Sé e ficou sem fazer o exame.


    Leia tudo sobre: enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.