Na redação, candidato pode ter nota 1.000; mesmo quem gabarita a prova objetiva nunca alcançará essa pontuação

O candidato que faz uma boa redação no Exame Nacional do Ensino Médio 2015 (Enem) recebe uma nota maior do que aquele que tem excelente desempenho na prova. Isso acontece pela metodologia de correção do exame, que usa a Teoria de Resposta ao Item (TRI) para as provas objetivas e a correção por pontos na redação.

"A redação é a única parte da prova do Enem que não faz parte da TRI. Então a nota máxima na redação é sempre 1.000 enquanto a nota máxima das outras provas nunca chega a isso", explica o professor Miguel Franklin, da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Como exemplo, ele aponta a nota máxima da prova de matemática de 2009 que foi 985,1.

"Provavelmente o aluno acertou todas as questões, mas como na TRI o valor de cada questão depende das outras questões que o aluno acertou e, também, do desempenho dos outros estudantes, nunca chega a mil pontos."

"Isso significa que fazer uma excelente prova de matemática ou de linguagens não é tão bom quanto fazer uma excelente redação", afirma Franklin.

+ Entenda a TRI

Por conta da metodologia, porém, a redação é também a única prova que o candidato pode tirar zero. Nas objetivas, mesmo que não responder a nenhuma questão, o estudante terá o número de pontos equivalente à nota mínima obtida por candidatos com o mesmo caderno. 

O professor comenta, contudo, que normalmente o aluno que vai bem na redação também tem boa nota na prova. Em um estudo em que analisou o desempenho dos candidatos no Enem de 2009 a 2012, ele aponta que aumentou a correlação entre as notas da redação e das provas objetivas.

Veja na galeria temas que já foram cobrados na redação do Enem

Como fazer uma redação nota 1.000?

A redação do Enem tem duas características que a tornam diferente da maioria das provas de vestibular: o exame pede uma proposta de intervenção para resolver (ou amenizar) um problema; e o candidato que ferir os direitos humanos zera a redação, ainda que o texto esteja bem escrito.

Para Rafael Marques, professor do Colégio Bernoulli, o segredo da redação do Enem é fazer um texto simples e adequado ao que foi solicitado.

"O aluno tem que caprichar na introdução para mostrar que o tema foi compreendido, colocar informações que o aluno tem para defender uma tese, uma ideia. Ele tem que se posicionar em relação ao assunto e dar uma proposta de intervenção adequada."

+ Falta d'água e ebola são apostas para tema de redação

A professora de redação Ednir Barbosa, do cursinho Oficina do Estudante, alerta que é na hora da intervenção que muitos se atrapalham. "O estudante tem que prestar muita atenção na proposta e já estruturar o texto pensando em qual será sua intervenção. Um erro comum é deixar duas linhas finais para a intervenção e colocar uma ideia de qualquer jeito, sem detalhamento", aponta.

A dica dela é que o candidato pense o problema de vários pontos de vista para que possa fazer uma proposta mais abrangente. "O candidato tem que tentar não jogar toda a culpa no Governo. É legal pensar em como a sociedade e grupos da sociedade podem ajudar naquela resolução", sugere.

O que pode zerar uma redação?

De acordo com o guia do participante, o candidato pode ter sua redação desclassificada nos seguintes casos:

- se fugir do tema; 
- se o texto tiver menos de oito linhas;
- se houver desrespeito aos direitos humanos;
- se o estudante fizer inserções indevidas ou desconectadas do restante do texto;
- se não usar a estrutura dissertativo-argumentativa;
- ou se a folha de redação estiver em branco, mesmo que o rascunho esteja preenchido.

    Leia tudo sobre: enem
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.