Manifestantes protestam contra Plano de Demissão Voluntária da USP

Por Agência Brasil (com informações de Ana Paula Silva - iG São Paulo, direto do local) | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Os servidores da universidade estão em greve desde maio para pleitear reajuste salarial 9,78% ante uma oferta de 5,2%

Agência Brasil

Luiz Claudio Barbosa/Futura Press
Manifestantes bloqueiam faixas da avenida Paulista, no sentido Consolação, em São Paulo (03/09)


Cerca de 600 pessoas, segundo estimativa da Polícia Militar, ocuparam faixas da pista da Avenida Paulista, no trecho de um quarteirão, em frente ao vão-livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp) no início da tarde desta quarta-feira (3). O grupo, formado por sindicalistas e funcionários da Universidade de São Paulo (USP), protestava contra a aprovação, nesta terça-feira (2) pela Universidade, do Plano de Demissão Voluntária (PDV).

Saiba mais:
USP aprova plano de demissão voluntária e reajuste de 5,2% para grevistas

Os servidores estão em greve desde maio para pleitear reajuste salarial 9,78% ante uma oferta de 5,2%. Apesar de pacífico, o ato prejudicou o trânsito na região e agentes da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) orientaram os motoristas para os desvios.

Ana Paula da Silva/iG São Paulo
Manifestantes protestam diante da sede Conselho dos Reitores das Universidades Paulistas , localizado próximo à avenida Paulista

Cruesp

Após encerramento do ato na avenida Paulista, os servidores da USP saíram em caminhada rumo à sede Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp), localizado na Rua Itapeva. No local, os manifestantes cantam músicas de protesto e também se revezam no alto-falante, com relatos sobre os problemas enfrentados pela universidade.

Toda a movimentação do protesto está sendo acompanhada pela tropa de choque da Polícia Militar.

A via onde ocorre a manifestação está parcialmente fechada, no sentido da avenida 9 de julho, importante trecho da capital paulista.

Funcionários das demais universidades estaduais (Unicamp e Unesp) e alguns estudantes se juntaram à manifestação a fim de pedir aos reitores para atender às reivindicações da categoria.

“Com esse ato queremos pressionar os reitores a concederem não apenas o reajuste salarial e a revisão do PDV”, disse Claudionor Brandão, diretor do Sindicato dos Trabalhadores da USP, complementando que a categoria quer ainda a abertura das contas da universidade. “Eles só nos mostram tabelas”, queixou-se ele.

Leia tudo sobre: uspgreveprotestoavenida paulistacruesp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas