De acordo com a reitoria, o principal problema é que gastos com pessoal ultrapassaram 100% do orçamento da USP

Agência Brasil

O Conselho Universitário da Universidade de São Paulo reúne-se na tarde de desta terça-feira (2) para discutir a situação financeira da universidade. Na reunião, deve ser discutida a proposta da reitoria de implantar um plano de demissão voluntária. Também está previsto um ato de servidores e professores em defesa da universidade pública, na Praça do Relógio. Funcionários da instituição estão em greve.

De acordo com a reitoria, o principal problema é que a instituição, em 2011, gastava cerca de 80% dos recursos com pagamento de pessoal e 20% para investimentos e outros custeios. Este ano, os gastos com pessoal ultrapassaram 100% do orçamento.

+ Acompanhe mais notícias no canal iG Educação
+ Siga o iG Educação pelo Twitter
+ Fique por dentro de outras notícias pelo facebook do InfoEscola

O ministro da Educação, Henrique Paim, informou terça (2) que conversou com o reitor Marco Antonio Zago e colocou-se à disposição do governo paulista para auxiliar na solução da crise. ”Estamos acompanhando de perto [a questão] e o que o MEC [Ministério da Educação] puder fazer estaremos à disposição”, disse Paim, após participar do Fórum Nacional da Educação.

Questionado se a ajuda do governo federal pode ser financeira, Paim disse que não há nenhum encaminhamento de repasses, além do rotineiro em torno do apoio ao ensino superior.

Os funcionários da USP reivindicam aumento salarial de 9,78%, mas a instituição argumenta que não há mais espaço no orçamento para atender ao pleito. Está prevista, para o próximo dia 5, nova tentativa de conciliação entre as partes, na sede do Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.