USP, Unesp e Unicamp anunciam congelamento de salários

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Altos níveis de comprometimento com folha de pagamento não permitem realizar qualquer reajuste salarial, dizem reitores

Devido a crise financeira, os reitores das três universidades paulistas - USP, Unesp e Unicamp - decidiram não reajustar neste ano os salários de docentes e servidores.

A decisão foi anunciada nesta segunda (12), após reunião do Conselho de Reitores das Universidades Estaduais Paulistas (Cruesp). 

"Os altos níveis de comprometimento de orçamento com folha de pagamento – 94,47% na Unesp, 96,52% na Unicamp e 104,22% na USP não permitem ao CRUESP realizar qualquer reajuste salarial neste momento", diz a nota. 

Uma nova reunião está agendada para a próxima semana e, segundo o Cruesp, a situação financeira deve seria reavaliada a partir de setembro ou outubro, a depender do montante das transferências de recursos.

As três universidades estaduais paulistas recebem repasse anual de 9,57% do Imposto sobre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e têm autonomia financeira para investir o montante.

Situação da USP

No final do mês passado, a USP suspendeu todas as novas contratações de pessoal, incluindo as substituições de aposentados ou demitidos. O reitor da instituição, Marco Antônio Zago, enviou uma carta a professores, funcionários e alunos da instituição explicando que se "sentiu no dever de esclarecer sobre as dificuldades a serem enfrentadas nos nos próximos anos para recolocar a USP em situação de normalidade financeira"

A USP possuía no final de 2012 um fundo de reserva de R$ 3,23 bilhões, incluído nesse valor quase R$ 1 bilhão de receitas próprias, convênios e economia orçamentária que várias unidades fizeram durante os últimos anos. No final de 2013, essa reserva havia baixado para R$ 2,56 bilhões.

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas