Estudo feito por equipe econômica chegou a investimento necessário para quebra de ciclo vicioso

Pesquisa da consultoria Tendências apresentada nesta segunda-feira pela Fundação Telefônica aponta que de cada quatro crianças que trabalham uma é prejudicada no desempenho escolar. De acordo com os estudos, o Brasil precisaria investir R$ 15 bilhões para erradicar o trabalho infantil, mas em 20 anos o ganho em renda média seria de R$ 35 bilhões.

Ao todo, há 3,7 bilhões de crianças e adolescentes de até 16 anos que trabalham no Brasil. Segundo o levantamento, no curto prazo, o trabalho prejudica o desempenho escolar das crianças: reduz em 17,2% a aprovação escolar, afeta o progresso educacional em 24,2% dos casos e ainda aumenta em 22,6% a evasão escolar. No longo prazo, a capacidade de acúmulo de capital humano é reduzida, o que também interfere no desenvolvimento da região e do país.

A pesquisa mostrou que trabalhar 4 horas ou mais em atividades domésticas reduz, em média, o desempenho escolar dos alunos 4ª série do ensino fundamental em mais de 6%, e para os alunos da 8ª série do ensino fundamental esse impacto negativo fica em torno de 4%.

A melhor maneira de interromper o ciclo vicioso que leva crianças de famílias carentes ao trabalho prematuramente é com estudo. Segundo a pesquisa, um aumento de dois anos da escolaridade dos pais tem um efeito negativo sobre o trabalho infantil muito maior do que um aumento de 20% dos salários dos membros da família.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.