Grupo do curso de Design teve a ideia considerada a melhor do mundo em desafio da Airbus e Unesco

A Airbus e a Unesco desafiaram estudantes do mundo inteiro a propor soluções para o setor de aviação a fim de incentivar jovens a conjugar conhecimentos e criatividade em uma área carente de profissionais. Uma equipe da Austrália levou o segundo lugar com a proposta de desenvolver uma aeronave movida por uma mistura de biometano liquefeito produzido de forma sustentável e gás natural liquefeito (Bio-GNL). Mas o primeiro lugar ficou com um grupo de estudantes de Design da Universidade de São Paulo que pensou em algo mais simples que pode impactar a vida de trabalhadores e passageiros.

Os estudantes da USP vencedores do prêmio com ideia de fácil aplicação em aviação
Divulgação
Os estudantes da USP vencedores do prêmio com ideia de fácil aplicação em aviação


Marcos Philipson, Leonardo Akamatsu, Adriano Furtado e Caio Reis, e Henrique Corazza – este último estudava na USP e agora está na Loughborough University, no Reino Unido – venceram o Fly Your Ideas 2013, com a proposta de um sistema de estofamento de ar para acelerar o carregamento e descarregamento de bagagens do compartimentos de carga. O dispositivo, inspirado em mesas de hóquei reduz a carga de trabalho dos funcionários.

“Começamos a desenvolver esse projeto a partir de uma pesquisa envolvendo visita a uma fábrica de aviões, aeroportos e entrevistas com trabalhadores da área. Ficamos impressionados com as dificuldades a que estão sujeitos os trabalhadores que fazem o carregamento e descarregamento das bagagens, que vão desde questões de saúde, principalmente de natureza postural, até a demanda acelerada”, comenta Philipson. Além de melhorar as condições de trabalho dos funcionários, o dispositivo deve acelerar em 30% o tempo gasto no processo.

Leia também:
Brasil forma três vezes menos engenheiros que países ricos
Projeto com satélite leva alunos de escola pública a EUA e Japão

Com o primeiro lugar, os estudantes receberam 30 mil euros. Segundo os alunos, o dinheiro será usado para desenvolver o produto. O prêmio também trará uma equipe de engenheiros da Airbus para workshops na USP.

O concurso havia recebido 600 propostas do mundo inteiro e cinco equipes foram apresentar seus projetos na sede da empresa em Toulouse, na França. Ao contrário das apresentações dos concorrentes com imagens e projeções, os brasileiros mostraram um protótipo pronto, que

convenceu os juízes. O vice-presidente de Engenharia da Airbus, Charles Champion, elogiou a visão ampla dos brasileiros. “Não se limitaram à aeronave, mas também consideraram as operações em terra”, comentou. “Seu talento serve para nos lembrar da urgência de treinar mais engenheiros para colocar a ciência em prática”, completou a diretora geral da Unesco, Irina Bokova.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.