Abismo educacional entre regiões do País já é percebido em crianças no 3º ano

Por Cinthia Rodrigues - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Prova que avaliou a alfabetização mostra que diferença começa a aparecer muito cedo

A alfabetização das crianças ao final do 3º ano fundamental é extremamente desigual entre as regiões do Brasil. Dados da Prova ABC mostram que no Sudeste, 47,4% dos alunos nesta série estão plenamente alfabetizados em matemática, enquanto no Norte, apenas 16,5%. Em leitura o índice positivo é de 56,5% no Sudeste e de 27,3% no Norte e, em escrita, cai para 38,8% na região mais rica do País e 16,1% na mais pobre.

Faça o teste: Veja exemplos de questões que foram colocadas às crianças

Quando se analisa o Brasil como um todo 44,5% dos alunos apresentaram proficiência em leitura, 30,1% em escrita e 33,3% em matemática. Foram avaliados 54 mil alunos de 1.200 escolas públicas e privadas distribuídas em 600 municípios.

O teste feito pelo Todos Pela Educação em parceria com a Fundação Cesgranrio, o governo federal e o Ibope no ano passado buscou apurar quantas das crianças estão totalmente alfabetizadas. “Não é fácil obter consenso do que é estar plenamente alfabetizado. Combinamos que é ter autonomia para ser capaz de seguir seus estudos. Não confundir com letramento”, disse Nilma Fontanive, da comissão técnica do movimento.

Crianças alfabetizadas

Porcentagem com conhecimentos esperados ao final do 3º ano por região do País

Gerando gráfico...
Todos pela Educação


A mesma prova foi apresentada para estudantes do 2º e 3º ano. Embora se espere que apenas os deste último consigam responder corretamente às questões, a aplicação permitiu que se acompanhasse o distanciamento no resultado entre as regiões em apenas um ano. No segundo ano, a diferença entre o Norte e o Sudeste em matemática foi de 16 pontos porcentuais no 2º ano e, no 3º, 30 pontos. Em escrita, o 2º ano já mostra 13,7 pontos porcentuais de distância entre as duas regiões e, no 3º ano, são 22,7 pontos. Apenas em leitura a diferença praticamente se mantém, é de 25,3 pontos porcentuais no 2º ano e 25,8, no 3º ano.

Leia também: Avaliação Nacional de Alfabetização será em novembro

Até agora, a Prova ABC era o único instrumento para avaliar as crianças nessa idade. A partir de novembro deste ano, o próprio governo federal terá uma prova a Avaliação Nacional de Alfabetização (ANA). Por conta disso, a Prova ABC não será continuada. “De certa forma, o objetivo foi atingido já que queríamos uma avaliação para acompanharmos as crianças”, disse a diretora executiva do Todos, Priscila Cruz.

Por outro lado, uma das metas da organização é que todas as crianças estejam plenamente alfabetizadas aos 8 anos, idade em que as crianças deveriam estar no 3º ano do ensino fundamental. Os resultados mostram que atualmente, nenhum Estado chega sequer a 50% de alunos com os conhecimentos desejados nesta etapa em matemática e escrita. Em leitura, quesito em que os estudantes em geral se saíram melhor, cinco unidades da federação têm mais da metade alfabetizados: Rio Grande do Sul (52%), Santa Catarina (54%), Distrito Federal (55%)Minas Gerais (59%), São Paulo (60%).

Para as provas de leitura e matemática foi usada a escala do Sisistema de Avaliação de Educação Básica (Saeb), com interpretação dos valores mais baixos, já que até então só havia prova a partir do 5º ano. Para escrita, foi elaborado um pedido de texto em que o aluno deveria convidar um amigo para passar um dia das férias com ele e contar como seria este dia. Veja abaixo um exemplo de texto escrito por um estudante avaliado como muito bom.


Reprodução
Redação avaliada como muito boa na Prova ABC




compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas