Nos EUA, estudantes em lista de espera enviam presentes para faculdades

Por NYT |

compartilhe

Tamanho do texto

Profissionais que selecionam alunos dizem que apenas comunicados informados e maduros são eficientes

NYT

Quando Amanda Wolfbauer, uma estudante do colegial nos Estados Unidos, recebeu o veredicto do escritório de admissões da Faculdade Hamilton, em Clinton, Nova York, ela publicou no Twitter: "O que fazer quando se está na lista de espera da faculdade? #frustrada #piordoqueserrejeitada".

Poucos minutos depois, ela tinha mudado sua postura de derrotada para determinada: "Bem, #HamiltonAdmssn prepare-se para se deslumbrar, pois estou determinada a sair dessa lista de espera."

Desde então, Wolfbauer, de Carver, Minnesota, disse ter escrito ao departamento de admissões para dizer "o quanto eu quero ir para lá e por que Hamilton é a minha principal escolha desde o início da minha pesquisa de faculdades"; ela enviou "um monte de seus projetos do ensino médio", incluindo um que ganhou uma competição estadual, e na semana passada ela começou a filmar um vídeo com os amigos – e mais tarde professores - "basicamente para lhes dizer o quão incrível eu sou, falando a respeito das qualidades positivas que eu possuo e por que Hamilton deveria me aceitar. "

Será que ela não se preocupa que poderia estar exagerando? "Eu me preocupo em não estar fazendo o suficiente", disse.

NYT
Amanda Wolfbauer está na lista de espera da da Faculdade Hamilton, em Clinton, Nova York, e faz de tudo para ser selecionada


Outros alunos na lista de espera enviam para suas possíveis futuras faculdades comidas, fotos de família, projetos de artesanato que retratam marcos do campus e dossiês de depoimentos de líderes civis e religiosos, para citar apenas algumas das coisas que os escritórios de admissão têm recebido no decorrer do mês passado.

Para a maioria dos candidatos dos processos seletivos das universidades, as cartas que chegaram até o dia 1º de abril puseram fim a meses de espera. Mas, para uma pequena fração desses alunos, a tensão está atingindo seu ápice apenas agora. Eles não receberam um sim ou não, e sim um talvez.

As escolas costumam pedir aos estudantes para enviar resposta se desejam permanecer na lista de espera ou não.

"Nós incentivamos os alunos na lista de espera, que permanecem muito interessados em ingressar na Universidade de Columbia para enviar uma breve carta confirmando seus interesses e nos manter atualizados durante seu último ano do colegial", disse Jessica Marinaccio, diretora de admissões de graduação da Universidade de Columbia, “e desencorajá-los de enviar cartas extras de recomendação ou outros materiais complementares. "

O que funciona? Geralmente comunicados que são informados e maduros.

"A maioria dos estudantes escrevem: 'Eu te amo, eu te amo, eu te amo'", disse Michael Motto, um ex-assistente do diretor de admissões da Universidade de Yale, que agora trabalha como consultor educacional particular em Nova York. "Embora essas mensagens sejam encantadoras e lisonjeadoras, essas são instituições acadêmicas."

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas