Estudantes protestam contra exigência do Enem para Ciência sem Fronteiras

Por Tatiana Klix - iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Nova regra para concorrer a bolsas de estudo no exterior causa indignação em alunos que não prestaram o exame e não poderão participar do programa

Uma nova regra nos editais publicados no dia 24 de maio para bolsas do Ciência sem Fronteiras está provocando uma onda de reclamações entre estudantes que planejavam participar do programa e agora veem suas perspectivas frustradas. Para concorrer às bolsas que serão concedidas em 2014 passou a ser obrigatória a participação no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a partir de 2009, o que até então era apenas um critério de desempate na seleção para bolsas que recebiam um número de interessados maior que o oferecido pelo governo. Os alunos também devem obter a nota de pelo menos 600 pontos no exame.

O estudante de Engenharia de Gestão da Universidade Federal do ABC (UFABC) Lucas N. enviou um email para o iG relatando sua indignação com a mudança. Ele planejava participar do programa a partir de janeiro no Reino Unido e já fez a prova de proficiência em inglês IELTS, cujo custo é de R$ 440. Além disso, já programava as disciplinas da faculdade que deveria adiantar até o programa. Mas ele nunca fez o Enem – quando entrou na universidade o exame não era usado como critério de seleção. “O problema é que o Enem só ocorre em outubro, e o edital do segundo semestre fecha antes disso, ou seja, milhares de alunos que não possuem Enem estão sendo prejudicados e provavelmente não poderão concorrer”, escreveu Lucas.

A orientação da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que é responsável pela seleção de alunos para o Ciência sem Fronteiras, é que os alunos participem do Enem este ano, cujo prazo de inscrição termina nesta segunda-feira, 27, às 23h59. Esse, no entanto, é outro ponto questionado pelos estudantes, que estão se mobilizando pela internet. “O que nós, estudantes, não concordamos é que esta medida foi comunicada no dia 24 de maio, faltando apenas três dias para o encerramento das inscrições no Enem”, explicou Lucas.

Segundo o estudante, para muitos esta nova medida impede a última chance de concorrer à bolsa de estudos no exterior, porque o programa exige que o aluno tenha completado de 20% a 90% da graduação. “Por muitos alunos interessados no programa já estarem nos últimos períodos de faculdade, e, consequentemente, terem realizado o Enem antes de 2009, esse edital consiste na última oportunidade de inscrição e o direito de concorrer à bolsa está, injustamente, sendo negado”, reclama.

Duas petições online pedem que a medida seja suspensa. Uma delas recebeu mais de 1000 assinaturas em 20 horas no ar. Outra, no Avaaz.org, tinha mais de 2.500 assinaturas às 18h desta segunda-feira. Há ainda dezenas de comentários na comunidade oficial do Ciência sem Fronteiras no Facebook e uma comunidade dedicada somente a discutir a questão.

"Os alunos que entraram na universidade antes de 2009 não tem direito a participar do programa. Lembrando que já viajaram pelo CSF vários alunos sem Enem. Agora somos excluídos!", reclamou Natalie Velloso, pelo Facebook.

Segundo a assessoria de imprensa da Capes, o Fale Conosco do programa também tem recebido diversas dúvidas sobre as novas regras, mas não há motivos para os estudantes se preocuparem. Quem fizer o Enem este ano não terá tempo de participar dos programas que começam em janeiro de 2014, mas poderá participar dos que iniciam a partir de março, e novas chamadas para intercâmbio ainda serão abertas.

Leia tudo sobre: Ciência sem FronteirasEnem

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas