Professores grevistas de São Paulo fazem ato na Paulista e no Centro

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Educadores estaduais estão no Vão Livre do Masp e os municipais em frente à Prefeitura

Professores grevistas fazem dois atos nas ruas de São Paulo na tarde desta sexta-feira. Os docentes da rede estadual ocupam o Vão Livre do Masp, na Avenida Paulista, e os municipais estão no Viaduto do Chá, em frente à Prefeitura, no Centro. 

De acordo com a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), no centro, a manifestação interdita o trânsito nos dois sentidos. Na Paulista, a manifestação interditou o sentido Consolação. Às 17h, os professores chegaram à Praça da República, onde fica a sede da Secretaria da Educação.

Futurapress
Professores da rede estadual de SP fazem manifestação por melhores salários


O sindicato dos professores estaduais (Apeoesp) iniciou greve há duas semanas. A Secretaria de Educação tem afirmado em boletins diários à imprensa que a adesão é mínima e aumentou em menos de 1% o número de faltas regular de professores. A paralisação começou depois que o governador Geraldo Alckmin anunciou que mandaria à Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo um projeto de reajuste d 8% no salário dos professores. A reclamação é que, com o desconto da inflação do último ano, não haveria o aumento real de 6% prometido em 2011, quando foram estabelecidos valores de reajuste por quatro anos.

Futurapress
Professores de diferentes regiões do Estado de SP se reúnem na Avenida Paulista


O sindicato dos professores municipais, o Sinpeem, testa a aceitação do ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, atual prefeito de São Paulo às reivindicações da categoria. Os docentes pedem aumentos retroativos desde 2011 (6,55% retroativos a maio de 2011 e 4,61% retroativos a maio de 2012), além de mais 5,6% para este ano.  

Na última terça-feira, dia 30, a Secretaria de Educação recebeu entidades representantes dos professores em uma primeira rodada de negociação setorial, que faz parte do Sistema de Negociação Permanente da Prefeitura (Sinp). O governo propôs um reajuste imediato de 0,82% a todos os servidores e outro de 11,46%, a ser pago em três parcelas a partir de 2014. Além disso, para os educadores foi oferecido 10,19% neste mês e 13,43% em 2014. 

Futurapress
Ato dos professores municipais em frente à Prefeitura de São Paulo




Leia tudo sobre: greve de professores

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas