Sindicato diz que paralisação pode começar na sexta e Prefeitura negocia a partir de hoje

Profissionais de educação da rede municipal de São Paulo prometem entrar em greve a partir de sexta-feira. Um grupo ligado ao Sindicato dos Profissionais em Educação Municipal (Sinpeem) fez uma manifestação em frente à Prefeitura, no centro, e andou pela Rua Líbero Badaró e o Viaduto do Chá.

Professores municipais de São Paulo fizeram ato em frente à sede da Prefeitura
Futurapress
Professores municipais de São Paulo fizeram ato em frente à sede da Prefeitura


Entre as reivindicações estão reajustes pelos últimos três anos - 6,55% retroativo a maio de 2011, 4,61%, desde maio de 2012, e mais 5,6% neste ano. O governo propôs reajuste de 0,82%, além de 11,46%, em cinco parcelas, a partir de 2014. Os professores não aceitaram.

A Prefeitura vai receber nesta terça-feira, 30, a categoria, como parte do Sistema de Negociação Permanente da Prefeitura (Sinp). Estima-se que 5 mil pessoas participaram do ato, mas a Prefeitura não informou a adesão à paralisação. Houve escolas onde mais da metade dos servidores faltaram. Parte dos professores do Estado de São Paulo também está em greve desde de 22 de abril . Eles exigem reajuste de 36,74%. 

*com Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.