Aluno da USP São Carlos acusa colegas de estupro

Por iG São Paulo | - Atualizada às

compartilhe

Tamanho do texto

Estudante diz que foi abordado por moradores do alojamento após reunião acadêmica

Um aluno do câmpus São Carlos da Universidade de São Paulo (USP) registrou na última terça-feira boletim de ocorrência contra oito estudantes da mesma instituição por estupro. Em nota, a universidade afirma que também recebeu a queixa e fará uma sindicância.

Outro caso: Alunos dizem à polícia que ficaram pelados em trote 'por brincadeira' 

O boletim de ocorrência foi registrado à noite, por um delegado plantonista. A vítima, um estudante do 1º ano de licenciatura em ciências exatas, teria dado apelidos dos agressores e afirmou que conhece alguns deles e que pode reconhecê-los durante as apurações. Segundo relato, o caso ocorreu na semana anterior.

De acordo com o boletim, após sair de uma assembleia acadêmica, a vítima voltava para o quarto, quando, ao passar pela entrada de um dos prédios do alojamento estudantil, foi atacado por um grupo de oito alunos que estava numa festa. Ele declarou que foi puxado pelos braços para dentro de uma cozinha do alojamento, obrigado a ficar sem roupas e a fazer sexo oral com alguns dos integrantes do grupo.

Em nota, a USP diz o aluno em questão compareceu ao Serviço de Promoção Social do Campus da USP em São Carlos, na mesma terça-feira. “Ocasião em que todas as ações e procedimentos pertinentes foram realizados pelos profissionais do setor, respeitando o sigilo próprio da atividade. No entanto, com o registro do Boletim de Ocorrência (cujo objeto trata-se de delito condicionado à representação da vítima) e a verificação de algumas incongruências dos relatos, o Presidente do Conselho Gestor do Campus acionou, na manhã de quinta-feira, dia 14, os setores competentes da universidade para as providências cabíveis ao caso, tendo como decorrência, em primeira instância, a instauração de uma sindicância.”

A averiguação do caso foi encaminhada para o 3.º Distrito Policial (DP) da cidade e será investigada pelo delegado Aldo Donisete Del Santo. Nesta sexta-feira, pelo menos 25 universitários da USP foram até a delegacia sem serem intimados para dar depoimentos em defesa dos acusados. Conforme a polícia, a demora no registro da ocorrência e algumas divergências nos testemunhos precisam ser melhor apuradas, antes de qualquer medida contra os suspeitos.

A USP São Carlos já enfrenta um caso de polícia por conta de atos obscenos de um grupo de estudantes em protesto contra feministas que se queixavam de um tradicional trote machista, o Miss Bixete. Nesta semana, três jovens foram ouvidos pela Polícia Civil e indiciados por atos obscenos.

*Com informações da Agência Estado.

Leia tudo sobre: USP São Carlosestupro

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas