Haddad planeja criar polos de ensino a distância para docentes fazerem mestrado

Por iG São Paulo |

compartilhe

Tamanho do texto

Em evento com educadores e jornalistas, prefeito apresentou propostas para a educação em São Paulo. Déficit de creches não será resolvido apenas pela prefeitura, admitiu

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, planeja transformar os Centros de Educação Unificados (CEUs) da cidade em polos da Universidade Aberta do Brasil (UAB), um sistema integrado por diversas instituições públicas do País que oferece educação a distância. Ao levar a UAB para os CEUs, a intenção é que os professores possam fazer mestrado, que pode até ser profissional, perto de casa, num ambiente que ele já conhece. “O professor tem que se sentir pertencente a um centro de formação. Nós já estamos fazendo o credenciamento e convocando universidades para início imediato”, disse Haddad em evento na segunda-feira (18) promovido pelas organizações Inspirare/Porvir e Todos Pela Educação.

Entrevista com secretário: Callegari diz que Prefeitura não dará bônus a professores

Outra proposta apresentada pelo prefeito, que estava acompanhado do secretário da Educação, Cesar Callegari, na a quarta edição da Série de Diálogos O Futuro Se Aprende, com a presença de educadores e representantes da imprensa, é a adoção do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid), criado no governo federal quando era ministro. Para Haddad, a iniciação à docência é uma possibilidade concreta de fazer com que o aluno de licenciatura transite e leve o que acontece na escola para a academia. O programa dá bolsas a alunos de cursos presenciais que façam estágio em escolas públicas. A ideia é conceder ao menos 3 mil bolsas para estudantes que optem por fazer seu tempo de prática na rede municipal.

O que é o Pibid: Bolsa leva futuro professor a conhecer realidade que o espera 

“É esse bolsista que pode ajudar a rede municipal no aumento da jornada de 4 horas para 7 horas e na adoção do Mais Educação (programa de educação integral do governo federal)”, disse Haddad. Com a limitação física de espaço, fazer com que os alunos fiquem mais tempo na escola pode significar que eles fiquem mesmo fora dela. “Nós subordinamos os demais equipamentos públicos [biblitecas, praças, museus] à lógica da cidade educadora, ampliando os espaços de aprendizagem. É uma lógica de acolhimento”, diz o prefeito, que planeja começar pelas escolas com Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) mais baixo.

Ideb: Consulte as notas de 2011 das escolas públicas brasileiras

Convocação do secretário

Quanto ao deficit de vagas em creche, tanto prefeito quanto secretário de Educação admitiram que, sozinha, a administração não vai conseguir sanar esse problema. Já está prevista a construção de 200 creches, com capacidade média de 150 crianças, o que adicionaria 30 mil vagas a um sistema que carece de quase 100 mil postos. “O governo vai fazer a sua parte para expandir, qualificar e manter a rede conveniada, mas acreditamos que uma quantidade grande de empresas pode ter o apoio técnico e financeiro da secretaria para oferecer essas vagas para os filhos de seus funcionários e para as crianças da comunidade do entorno”, diz Callegari. A convocatória foi recebida com interesse pelos participantes do encontro.

Educação infantil: Rede privada avança mais do que pública em matrículas nas creches

*As informações são do Porvir

Leia tudo sobre: HaddadcrechesPibidEADeducação a distânciaUABigsp

compartilhe

Tamanho do texto

notícias relacionadas