Conselho Universitário da PUC tenta impedir posse de nova reitora

Homologação da lista com os candidatos indicados foi suspensa, mas Fundação São Paulo manteve escolha de Anna Cintra. Nesta quinta, professores promovem nova assembleia

iG São Paulo |

O Conselho Universitário (Consun) da PUC-SP decidiu, em reunião realizada nesta quarta-feira, 28, suspender, de forma provisória, a homologação da lista tríplice com os três candidatos indicados para assumir a vaga de reitor da instituição.

Os docentes atendem a reivindicação dos estudantes, que estão em greve em protesto contra a nomeação da professora Anna Cintra, terceira colocada na eleição realizada por alunos, professores e funcionários. Apesar de perder o pleito, a docente foi escolhida como a próxima reitora pelo cardeal Dom Odilo Scherer, grão-chanceler da instituição e presidente do Conselho Superior da Fundação São Paulo, órgão que administra a PUC-SP.

Tércio Teixeira/Futura Press
Alunos e professores da PUC participam de manifestação contra a posse da nova reitora, a professora de Letras Anna Cintra

A posse da nova reitora está prevista para sexta-feira, 30, mas o Consun nomeou, interinamente, o professor Marcos Masseto como reitor da universidade até a próxima reunião do conselho, no dia 12 de dezembro, data em que a professora Anna Cintra deverá apresentar sua defesa sobre um recurso dos estudantes contra a eleição.

Mobilização: Após ocupação da reitoria, estudantes da PUC-SP fazem greve
Greve geral: Alunos lançam manifesto na PUC-SP
Paralisação:  Professores aderem à greve da PUC, em São Paulo

Estudantes e professores estão em greve desde 13 de novembro, em protesto contra a decisão da Fundação São Paulo de empossar Anna Cintra. Os grevistas pedem que o primeiro colocado da lista e atual reitor da instituição, Dirceu de Mello, seja nomeado.

Em nota, a Fundação São Paulo “reafirma a legitimidade da escolha da professora Anna Maria Marques Cintra como reitora da PUC-SP”, confirmando para esta sexta-feira, 30, a data de posse da nova reitora. Ainda segundo a nota, o resultado da reunião do Conselho Universitário ainda não foi comunicado oficialmente ao grão-chanceler, que se posicionará sobre o assunto.

Buscando uma resolução por meio da justiça, a Fundação São Paulo entrou com uma liminar no Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP) contra a greve dos professores, que foi negada. Foi convocada, para esta quinta-feira, 29, às 14h, uma audiência de conciliação, na qual o corpo docente da PUC será representado pelo Sindicato dos Professores de São Paulo (SINPRO-SP). Às 18h, será realizada uma assembleia dos professores, na PUC.

    Leia tudo sobre: PUCGreve geral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG