Dilma quer mais vagas no ensino técnico para aumentar competitividade do País

Presidenta participou nesta quarta-feira de cerimônia na 7ª Olimpíada do Conhecimento, em São Paulo

Agência Brasil |

Agência Brasil

A presidenta Dilma Rousseff disse nesta quarta-feira (14) que o governo quer acertar cada vez mais parcerias com setores privados para ampliar o número de vagas no ensino profissionalizante. Dilma Rousseff salientou que essa união “dá um passo para assegurar mais competitividade ao País [no mercado internacional]”.

Leia mais: No 1º ano do Pronatec, 720 mil se matricularam no ensino técnico

Agência Brasil
Dilma conheceu alguns trabalhos expostos na Olimpíada do Conhecimento, evento promovido pelo Senai, em parceria com o Sesi e o Sebrae, em SP

“Agregar conhecimento é o grande diferencial do século 21”, disse, ao discursar na 7ª Olimpíada do Conhecimento , evento que prossegue até o próximo dia18, no Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi, na zona norte da cidade.“São momentos como este que mostram que o nosso país vem avançando no modo correto, que é o rumo da educação,”acrescentou.

Para a presidenta, tem sido exitoso o investimento no Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (Pronatec), instituído em parceria com o Sistema S (Sesi, Senai, Senac e Sesc), na formação de jovens em cursos técnicos profissionalizantes. De acordo com a presidenta, a meta é ofertar 8 milhões de vagas até 2014. A abertura da maior parte dos 2,2 milhões de vagas, em pouco mais de um ano, ocorreu graças à parceria com a indústria.

Treinamento: Brasil vai enviar 2 mil professores de ensino técnico para a Alemanha

Durante a visita da presidenta, foi assinado documento para que São Paulo sedie a Competição Mundial de Formação Profissional, WorldSkills, em 2015. Dos 640 estudantes que participam da Olimpíada, 42 serão selecionados para a edição do evento do ano que vem, em Leipzig, na Alemanha, quando 216 estudantes de 20 países das Américas irão disputar em 34 ocupações profissionais. Na edição anterior, em Londres, o Brasil ficou em segundo lugar, atrás apenas da Coreia do Sul.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG