MP investiga ameaças sofridas por criadora do "Diário de Classe"

Ministério Público de Santa Catarina inicia investigações sobre as hostilidades que Isadora Faber tem sofrido na escola pública onde estuda, em Florianópolis

iG São Paulo |

O Ministério Público de Santa Catarina (MP-SC) iniciou investigações, a partir de denúncias recebidas por e-mail, sobre as ameaças e perseguições que a estudante Isadora Faber, de 13 anos – autora da página de Facebook “Diário de Classe” – tem recebido por parte de outros alunos da escola pública de Florianópolis, onde estuda.

Segundo a assessoria de imprensa do órgão, foram recebidos, pela ouvidoria, vários e-mails relatando as intimidações sofridas por Isadora. A adolescente, por meio de seu “Diário de Classe”, tem denunciado, desde julho deste ano, as más condições da escola e a falta de preparo dos docentes que ali atuam.

Leia mais:  Isadora Faber, do "Diário de Classe", tem casa apedrejada e sofre ameaças

Tal atitude fez com que ela ganhasse antipatia de alunos e professores da instituição de ensino, passando a sofrer hostilidades. Apesar da situção intimidativa que sofre no cotidiano escolar, Isadora recebe grande apoio dos internautas que acompanham página – nesta sexta-feira, 9, somavam mais de 403 mil seguidores.

O caso está em fase inicial de investigação e - ainda segundo informações dadas pela assessoria de imprensa do MP - sob a responsabilidade da Promotoria de Justiça e Juventude. O órgão também informou que a medida se deu por conta da denúncia de terceiros e que não foi procurado pela família da garota.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG