Mercadante volta a defender 100% dos royalties do petróleo para educação

Ministro também descarta a ocorrência de apagões durante a realização do Enem

iG São Paulo |

A destinação de 100% dos royalties decorrentes da exploração do petróleo, tanto na camada do pré-sal como na área do pós-sal, voltou a ser defendida pelo ministro da Educação, Aloízio Mercadante, nesta terça-feira, 30. Para ele, tal ação, que tem apoio da presidente Dilma , é a alternativa “concreta” para garantir a reserva de 10% do Produto Interno Bruto (PIB) ao setor, conforme prevê o Plano Nacional da Educação (PNE), já aprovado pela Câmara dos Deputados e que ainda será votado no Senado .

“A única alternativa real e concreta que eu vejo é vincularmos todos os royalties do petróleo à educação em todos os níveis, federal, estadual e municipal, além de 50% do fundo social (do pré-sal). Como o petróleo é uma energia não renovável, a que a próxima geração não terá acesso, a nossa obrigação é deixar um Brasil melhor e o único passaporte é a educação”, afirmou o ministro, após a participação em um seminário sobre os desafios da educação no Brasil, no Centro de Gestão e Estudos Estratégicos (CGEE), em Brasília.

Leia mais: Senado aprova mudança na distribuição dos royalties do petróleo

A aprovação do Plano Nacional de Educação (PNE), no Congresso Nacional, e do novo modelo de partilha dos royalties deverão ser tratados de forma conjunta e com prioridade por parte do governo neste fim de 2012 .

Ministro descarta apagões durante o Enem

Mercadante desconsiderou a hipótese da ocorrência de apagões durante a aplicação das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), nos próximos dias 3 e 4 de novembro.

O ministro da Educação afirmou estar em contato permanente com os órgãos responsáveis pelo setor energético no país para evitar transtornos aos candidatos.

Enem: Guia para professores e alunos

“Não acreditamos que vai acontecer (queda de energia), é um feriado prolongado, mas estamos com o organismo que controla a gestão do sistema elétrico nos mantendo informados durante todo o processo. Estamos monitorando [a possibilidade de] chuva, a previsão do tempo, para ver se serão necessárias medidas complementares”, disse.

Na semana passada, nove estados do Nordeste e parte do Norte sofreram com a falta de energia . Segundo o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson Hubner, houve falha humana no incidente que ocasionou a falta de energia.

    Leia tudo sobre: PNEMECRoyaltiesPré-SalEnem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG