UFF destinará 10% das vagas para alunos de colégios municipais e estaduais

Porcentagem vai complementar a reserva de 12,5% estabelecida pela lei de cotas, considerada um retrocesso pelo reitor

iG São Paulo |

A Universidade Federal Fluminense (UFF) anunciou nesta sexta-feira (19) que destinará em 2013, além das 12,5% de vagas previstas para alunos de escolas públicas pela Lei de Cotas, mais 10% para estudantes de colégios públicos municipais e estaduais.


Guia de cotas da UFMG: Candidatos à UFMG terão guia sobre cotas

Segundo o reitor, Roberto Salles, a universidade reservaria a alunos dessas escolas do Rio de Janeiro, com renda familiar de até 1,5 salário mínimo, 25% das cerca de 10 mil vagas dos seus cursos. Com a Lei de Cotas, isso não será mais possível.

UFF refuta lei de cotas:  Cota não será aplicada no próximo vestibular, diz UFF

Como a nova regra obriga as universidades federais a destinar 12,5% de suas vagas para alunos de escolas públicas, o plano do reitor não será colocado em prática. Na avaliação de Roberto Salles, a lei federal é um retrocesso, pois beneficia estudantes de escolas "que têm o mesmo nível de estabelecimentos privados", como é o caso dos colégios federais, militares e de aplicação, sem favorecer a inclusão dos mais carentes.

Os colégios citados por Salles lideram os rankings de avaliações do Ministério da Educação, enquanto as escolas públicas municipais e estaduais, em média, estão em piores lugares.

"Os estudantes de colégios federais, universitários, militares e de aplicação competem em igualdade de condições com aqueles que estudam nas melhores escolas do país", diz nota divulgada pela UFF.

O reitor também cobrou a contratação de funcionários da área administrativa, como assistentes sociais, para que a lei seja colocada em prática. Ele também pede pelo menos mais R$ 10 milhões do Programa de Assistência Estudantil.

    Leia tudo sobre: UFFlei das cotasensino superior

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG