Adiada entrega de propostas para melhorar ensino médio

Secretários de Educação dos Estados decidiram que precisam de mais tempo para aprofundar debate

Agência Estado |

Agência Estado

De tão complexo, o assunto precisará de mais tempo. Em sua terceira reunião ordinária no ano, o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) decidiu nesta quinta-feira adiar a apresentação de propostas para melhorar o ensino médio. Dados do último Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) mostram uma estagnação nessa etapa de ensino – o índice saltou de 3,6 para 3,7, mas considerando apenas a rede pública, permaneceu estagnado em 3,4.

Problema: Desempenho melhora na educação básica, mas ensino médio ainda patina
Proposta de solução: Mercadante defende revisão curricular no ensino médio
Esforço concentrado: MEC formaliza “pacto” por ensino médio com secretários

"Fizemos reuniões regionais, elaboramos um documento preliminar, mas entendemos que havia necessidade de aprofundar as propostas", disse o secretário de Educação de Santa Catarina, Eduardo Deschamps. A nova previsão é entregar as propostas em meados de dezembro.

Foram apresentadas as linhas gerais do relatório, que abordam reformulação curricular, ampliação da educação em tempo integral e maior investimento em infraestrutura. O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, acompanhou parte das discussões.

A rede estadual é responsável por cerca de 97% da matrícula na rede pública – em nove Estados e no Distrito Federal, foi registrada queda no Ideb 2011 em comparação a 2009. Santa Catarina é a unidade da federação com melhor Ideb no ensino médio: 4,0. A meta nacional para 2021 é 5,2.

"O processo não é simples, não é apenas um ou dois itens que precisamos reorganizar. São mais de dez temas", disse Deschamps. "Esse é um trabalho a ser feito pelos secretários junto com o MEC nessa reformulação."

O MEC estuda alterar a forma de avaliação do ensino médio, trocando a Prova Brasil - que é amostral - pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) . De acordo com Deschamps, os secretários estaduais apoiam uma avaliação censitária do ensino médio e aguardam a conclusão do estudo técnico preparado pelo governo para avaliar os efeitos de uma possível mudança da fórmula. Uma das preocupações é não perder a série histórica.

Durante encontro com secretários, Mercadante defendeu uma maior integração entre as disciplinas do ensino médio . O ministro também destacou que o governo federal deve adquirir tablets para professores da rede pública.

    Leia tudo sobre: ensino médioMercadanteMECIdeb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG