Prefeitura promete obras em escola exposta por aluna na internet

Após repercussão de página criada por estudante de 13 anos no Facebook, secretaria da Educação de Florianópolis inicia reforma

Tatiana Klix - iG São Paulo |

A prefeitura de Florianópolis, em Santa Catarina, prometeu nesta terça-feira, dia 28, que fará reparos nos banheiros e em outros setores da Escola Básica Maria Tomázia, onde estuda Isadora Farbes, a aluna de 13 anos que criou a página Diário de Classe no Facebook , em que relata problemas de infraestrutura e faz críticas à conduta pedagógica de alguns professores. Os depoimentos da estudante começaram a ser publicados em 11 de julho, mas a partir desta semana ganharam grande repercussão nas redes sociais, portais de internet, jornais e canais de TV. Às 21h, a página contava com 124 mil fãs.

Facebook/Reprodução
Isadora se inspirou em blog de aluna irlandesa para criar a página Diário de Classe no Facebook

Após reunião com a diretora da escola, a secretária de Educação, Sidneya Gaspar de Oliveira, informou que a prefeitura vem fazendo a manutenção física da unidade desde o início do ano e começou novas obras nesta terça-feira. Segundo nota enviada pela assessoria de imprensa do município, já foram trocadas 13 luminárias, que acabaram sendo danificadas.

Isadora, que desde segunda-feira teve sua rotina totalmente transformada por telefonemas de jornalistas, gravação de entrevistas e muitas mensagens recebidas pela internet, ficou satisfeita com a resposta dada pela secretaria. A mãe da estudante, Mel Faber, disse ao iG que ela vai postar no Facebook o que a prefeitura se comprometeu e vai continuar cobrando que as melhorias sejam cumpridas. Após um dia corrido em que a menina ficou totalmente ocupada em função da página, Mel está confiante de que Isadora vai dar conta de manter as atualizações no Diário de Classe e suas outras obrigações escolares. “Nem parei para pensar no impacto na vida de Isadora de todo esse sucesso, mas ela vai conseguir se readequar”, disse.

A reivindicação de estudante em relação a um professor de matemática, que na opinião dela “não é apto a ensinar”, ainda está pendente. A secretaria de Educação admitiu que houve incompatibilidade entre duas turmas da sétima série e um professor temporário, uma das quais frequentada por Isadora. Uma comissão avaliadora dará um parecer sobre o docente na próxima segunda-feira e poderá substituí-lo, como pede Isadora.

“Se existisse uma Isadora por escola, todos os problemas seriam resolvidos”, comemorou a mãe da aluna e agora celebridade na internet. 

Vandalismo

No comunicado emitido nesta terça-feira pela secretaria de Educação, a diretora da escola Maria Tomázia Coelho, Liziane Diaz Farias, assumiu a responsabilidade pela gestão deficitária na instituição, mas também culpou o vandalismo pelos problemas de infraestrutura apontados por Isadora no Diário de Classe. “Vamos a partir de agora trabalhar de forma diferente a parte administrativa e a preservação do patrimônio público”, afirmou.

Liziane pedirá ajuda à Associação de Pais e Professores no cuidado com a estrutura física e fará campanhas para os alunos se conscientizarem. Para a mãe de Isadora, as medidas são válidas, mas também defende pulso firme. Segundo Mel, a escola não cobra nada dos alunos e por isso acaba ocorrendo vandalismo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG