Minas Gerais é o estado campeão da Olimpíada Brasileira de Matemática

Cento e onze alunos do estado receberam medalhas de ouro. Rio ficou na segunda colocação, com 84 medalhas de ouro, seguido por São Paulo, com 78

Anderson Dezan , iG Rio de Janeiro |

Roberto Stuckert Filho/PR
Presidenta Dilma Rousseff durante premiação da 7ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas

O Estado de Minas Gerais foi o campeão da 7ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP)2011. A cerimônia de entrega de medalhas aos estudantes vencedores aconteceu nesta segunda-feira (27) no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com a presença da presidenta Dilma Rousseff .

Leia também:  Dilma Rousseff é alvo de protestos no Rio de Janeiro

A OBMEP distribuiu 500 medalhas de ouro e, desse total, 111 foram para Minas Gerais. Na segunda colocação ficou o Estado do Rio de Janeiro, com 84 medalhas de ouro. São Paulo conquistou o terceiro lugar da competição de matemática, com 78 medalhas de ouro.

De acordo com a organização da OBMEP, no ano de 2011 participaram da olimpíada mais de 18 milhões de estudantes de 44 mil escolas de todo o país. Podem disputar alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio de instituições públicas municipais, estaduais e federais.

“A escola pública tem um aspecto que é sempre dar oportunidades para a faixa da população que teoricamente não nasceu com todas as condições que no Brasil do passado garantiam o sucesso", afirmou Dilma, em seu discurso. “No Brasil de hoje, queremos que o sucesso venha da meritocracia. Essa é uma celebração da meritocracia. Ninguém perguntou aqui quem era o pai ou a mãe [do aluno premiado] e quanto eles ganhavam”, completou.

De prata com sabor de ouro

Anderson Dezan
Ricardo Oliveira da Silva mostra sua nova medalha da OBMEP ao lado do pai, Joaquim

Além das medalhas de ouro, a OBMEP 2011 também premiou 900 estudantes com medalhas de prata e, outros 1.802, com medalhas de bronze. Natural da cidade de Várzea Alegre, no interior do Ceará, Ricardo Oliveira da Silva, de 23 anos, veio ao Rio com o pai para receber sua medalha de prata. Ele já tinha outras quatro de ouro e uma de prata.

Deficiente físico, o rapaz só começou a estudar efetivamente aos 17 anos. Segundo ele, as premiações conseguidas nesse curto espaço de tempo foram obtidas após muita dedicação. “Fora o conteúdo da escola, estudo pelo menos mais 3 horas por dia. Não tive a oportunidade de me matricular mais cedo por várias dificuldades que enfrentei, mas assim é a vida. Temos que lutar”, disse.

Ricardo estuda em uma escola estadual de sua cidade e é tido como exemplo a ser seguido no município. “As pessoas me chamam de o gênio da matemática na minha cidade, mas eu não me considero como tal. Só sou esforçado. Sempre fui curioso, como um cientista”, contou o jovem, filho de agricultores. “A matemática não tem limites. Ela pode me levar para onde eu desejar”.

Histórico

A OBMEP é um projeto do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), que tem como objetivo estimular o estudo da matemática e revelar talentos da área. É promovida pelos ministérios da Ciência e Tecnologia e Inovação (MCTI) e da Educação (MEC).

Iniciada em2005, a Olimpíada serve como critério para o programa “ Ciência sem Fronteiras ”. Além disso, o desempenho do aluno possibilita a participação em programas de mestrado e de iniciação científica.

“O medalhista de ouro da Olimpíada da Matemática tem plenas condições de chegar a pleitear uma oportunidade no Ciência sem Fronteiras. Nós precisamos disso porque esse país tem, ao mesmo tempo, de combater a miséria e gerar ciência, tecnologia e inovação”, disse Dilma Rousseff, na cerimônia no Rio.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG