Instalações da antiga casa de shows estão inadequadas e oferecem risco, segundo a reitoria. Estudantes querem que local seja utilizado como espaço cultural público

A reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) divulgou uma nota nesta quinta-feira (26) na qual critica a ocupação da antiga casa de shows Canecão , imóvel que pertence a universidade, localizado no bairro do Botafogo, na zona Sul do Rio. Para o reitor Carlos Levi, a ocupação é inoportuna, oferece riscos aos estudantes e desvia o foco das discussões sobre a greve dos professores e servidores técnicos-administrativos das universidades federais.

Leia também: Sindicatos de docentes têm posições contraditórias sobre nova proposta

“As condições do imóvel oferecem riscos, em vista da inadequação de instalações elétricas e telhado, entre outras, deixadas após a desocupação pelo antigo locatário”, diz a reitoria. Os alunos querem que o imóvel seja um espaço cultural acessível à população e alegam ocupar o local como ato de apoio à greve de docentes e funcionários de instituições de ensino federais do País.

Para a reitoria, a ocupação desvia o foco das questões reivindicatórias e não contribui para o debate sobre a greve, “retomando uma questão já amplamente discutida e em andamento na UFRJ, sobre o imóvel”.

A universidade teve reintegração de posse do imóvel em 2010, garantida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), após 39 anos de batalha judicial. Atualmente, o espaço encontra-se ocupado por mobiliário do antigo locatário e a universidade é depositária legal dos equipamentos. De acordo com o reitor, a UFRJ deve iniciar, em curto prazo, a transposição dos materiais para outro local da universidade. Os estudantes informaram que vão decidir em assembleia se permanecem no local.

Não houve confronto no protesto de estudantes na zona sul do Rio de Janeiro
AE
Não houve confronto no protesto de estudantes na zona sul do Rio de Janeiro

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.