Vaticano rompe com universidade católica peruana

PUC peruana é identificada com o pensamento liberal e progressista. Instituição terá que mudar de nome, porque "prejudicou os interesses da Igreja"

Reuters |

Reuters

O Vaticano retirou da Pontifícia Universitária Católica (PUC) do Peru o direito de continuar a se denominar universidade pontifícia ou católica, afirmando que a instituição prejudicou os interesses da Igreja.

Leia também: Brasil tem 65 entre 200 melhores universidades da América Latina

A PUC peruana é uma das universidades mais destacadas da América Latina. A instituição, localizada em Lima, foi fundada em 1917 e há décadas é identificada com o pensamento liberal e progressista.

Gustavo Gutiérrez, padre considerado o fundador do movimento chamado Teologia da Libertação, lecionou por muitos anos na universidade, na qual se graduaram o presidente peruano, Ollanta Humala, e o ex-presidente Alan García.

O Vaticano disse neste sábado que o rompimento ocorreu depois que a universidade modificou seu estatuto unilateralmente várias vezes e tinha "prejudicado gravemente os interesses da Igreja". Não foram dados mais detalhes.

O reitor da universidade, Marcial Rubio, se desentendeu com o arcebispo de Lima, cardeal Juan Luis Cipriani Thorne, sobre o controle da instituição.

Em 1986, a universidade concedeu o título honorário de doutor ao então cardeal Joseph Ratzinger, o atual papa Bento 16. A Pontificia Universidad Católica del Peru aparece em 34º lugar no ranking de universidades latinas da QS, e é a instituição peruana mais bem colocada.

(Reportagem de Philip Pullella)

    Leia tudo sobre: Universidade católicaPUCensino superior

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG